Banca e Seguros

Seguros Direct - Incumprimento da seguradora


Resolvida
8862317

À data desta reclamação passaram já mais de 100 (CEM!!!) dias desde a data do furto da viatura segurada, conforme o auto de denúncia, elaborado pela PSP em 2016-12-03. Em Janeiro, a DIRECT informa-me da conclusão do processo e que em 8 Fevereiro (esgotado um prazo de 60 dias) seria de novo contactado para se proceder à indemnização. Nesse contacto sou também instado a pagar uma nova anuidade. Em Fevereiro venho a saber que a anuidade foi cobrada indevidamente (570€), quanto à indemnização teria de reunir uma lista de documentos. No dia 20 de Fevereiro, envio TODA a documentação pedida. Já no início de Março e prestes a decorrerem 3 meses sobre a data do furto, volto a telefonar para saber se achavam a demora razoável ou se iríamos chegar aos 100 dias…
Fui nessa altura informado que faltavam"umas coisas", a saber: a) segunda chave da viatura; b) o IUC de 2016.
a) A DIRECT sabia desde a primeira hora (ou devia saber, pois o seu representante foi informado no início do processo) que não tinha nem nunca tive outra chave! Mais, neste momento nem sequer posso mandar fazer um duplicado pois remeti a única existente à seguradora.
b) Na lista de documentos exigidos NÃO constava nem consta o IUC!
Decorridos mais umas semanas (e vão 43 dias além do prazo legal de 60...!) resulta claro que são meros pretextos para continuar a protelar a situação (como pedirem algo que sabem que não existe nem tenho hipótese de entregar).


Esta reclamação tem um anexo privado

Respostas

Luis Ferreira em 2017-03-28 15:21 Passadas 2 semanas sobre esta reclamação, não só continuo sem qualquer resposta/explicação por parte da seguradora como registo alguns detalhes que, para mim, são tão ou mais reveladores que o agravar do incumprimento propriamente dito (à data 55 dias, 115 desde o furto da viatura)! E que me levam a escrever estas linhas.

1- Resolvidos os pretextos invocados pela seguradora e denunciados na reclamação, fui informado que a demora afinal se devia “à falta” de 2 outros documentos. Ambos constavam na lista de documentos inicial como necessários apenas “no caso de empresa”! Tão pouco a seguradora alguma vez os mencionou em anteriores contactos.
2- Enviados estes no próprio dia (e-mail e carta registada), passei a ser atendido diariamente por funcionários diferentes. A ponto de começar a anotar nomes. Face aos insistentes pedidos de explicações, 4 daqueles garantiram devolver o contacto assim que “soubessem algo…” inclusive, 2 sob palavra de honra! Sublinho o facto, para o caso de não ser o único para quem isto diz tudo!
Escusado será dizer, nunca fui contactado. Pior, sempre que liguei passou a ser-me negada a hipótese de falar com o funcionário anterior. O máximo que obtive, após supostas consultas ao gestor do processo foi sempre: “…está para ser desbloqueado”. Gestor esse que também nunca se encontrava ou não estava disponível e, portanto, com o qual nunca consegui chegar à fala, muito menos lhe mereci a mínima satisfação.
3- Aprendi também (por)que a autoridade reguladora do sector (ASF) retirou a função de Provedoria ao CIMPAS, entregando essa competência às próprias seguradoras. Ou seja, eliminou a entidade que representava minimamente o reclamante, deixando a bondade da reclamação a cargo da/s… reclamada/s!

Sei que isto não me adiantará de muito. Mas alerto eventuais consumidores, para não caírem na minha ingenuidade à partida para estes processos. São desde o início manuseado por profissionais, como dizer… profissionais do incumprimento. E não quero ser insultuoso. Pelo contrário, até percebo o que possa estar por trás duma grande organização, seus interesses, procedimentos etc. e que nós ignoramos. Mas há pormenores que magoam e que são, afinal, o que me leva a escrever isto. Todos nós, alguma vez na vida e seja qual for o motivo, já estivemos em situação de incumprimento. Por isto, por aquilo, por esquecimento… o que for. O que faz a diferença e sempre me ensinaram é que pessoas sérias não têm qualquer problema, são as primeiras a pegar num telefone e dar uma satisfação. Já aquele que deve e durante meses não está, nunca atende, não diz nada… Enfim, esta não é a minha área. Sei apenas o que faria se fosse profissional da mesma.
em 2017-03-30 16:44 Exmo. Sr. José Ferreira,

No seguimento da sua reclamação e na que tinha formalizado junto da ASF cumpre-nos indicar que remetemos comunicação par ao mail indicado.

Com os nossos melhores cumprimentos,

Atentamente,

Área de Reclamações Direct
Luis Ferreira em 2017-03-31 11:37 Ao invés do que a resposta da área de reclamações da DIRECT sugere, cumpre-me informar que passados 120 dias (CENTO e VINTE!!!) nada está resolvido. Nem vale a pena enumerar aqui as voltas e maçadas, o absurdo a que isto chega... basta dizer que a última (aquela a que comunicação acima alude) foi exigirem um documento para uma semana depois dizerem que esse já não estava em vigor e que afinal era outro o necessário! E vão mais 15 ou 20 dias...
Enfim, abreviando, eventuais consumidores esqueçam prazos legais. É muito simples, faça o lesado o que fizer, com esta seguradora (desconfio que não só...) nunca receberão antes daquele período. É assim que funciona e que estão organizados. Escudados no "firewall" do atendimento telefónico e numa série de artimanhas, umas "legais" outras nem isso... e nada lhes acontece.
Basta darem-se ao trabalho de pesquisar idênticas reclamações, sempre com o mesmo desfecho, para perceberem o que está por trás de tudo isto!
Luis Ferreira em 2017-03-31 11:44 Pese o que a resposta à reclamação possa dar a entender, cumpre informar que 120 dias (!!!) depois nada está resolvido. Tão pouco vou enumerar aqui as voltas, maçadas e absurdo a que isto chega... fico-me pela última, a que a comunicação acima alude: exigirem um documento para 1 ou 2 semanas depois dizerem que esse já não vigora e afinal é outro... E vão mais 3 ou 4 semanas!
Enfim, sendo mais objectivo, eventuais lesados esqueçam prazos legais. Façam o que fizerem nunca receberão antes daquele período. Dêem-se ao trabalho de pesquisar aqui idênticas reclamações, sempre com o mesmo desfecho! É assim que funciona, é assim que estão organizados e nada lhes acontece. Escudados no "firewall" do atendimento telefónico e numa série de artimanhas, umas "legais" outras nem isso... é assim de simples!

Comentários


victor fernandes

Curioso, só em meia dúzia de páginas de reclamações desta seguradora, conta-se logo uma dezena de casos da politica de "demoras" da DIRECT,incluindo vários de claro incumprimento no pagamento de indemnizações. Coincidência loool
Já sabíamos pelo banco de portugal que as entidades reguladoras neste país são "tachos" para não fazer nada... Nos seguros ou não vêm à net ou andam muito "distraídos" loool




Comentar

Apenas utilizadores registados podem fazer comentários.

Inicie sessão e regresse novamente a esta página para comentar.