3 em 4 pessoas recebem publicidade fraudulenta. Então como podemos diferenciar a que é verdadeira?

SMS, emails, telefonemas, são cada vez mais frequentes no nosso dia-a-dia e afetam as nossas decisões. Saiba diferenciar o certo do errado.

Informações
Esta notícia foi lida 7029 vezes
Partilhe

No último ano, quase 3/4 dos utilizadores de internet, têm sido alvo de esquemas e burlas com e-mails de phishing, SMS ou telefonemas, refere uma pesquisa online do banco Santander, que concluiu que 74% das pessoas disseram que foram alvo destes esquemas, recebendo uma média de 16 e-mails fraudulentos, SMS ou chamadas no ano passado.

Mais de 1/4 (27%) acreditava que as comunicações eram genuínas e 7% posteriormente foram vítimas de burla, vendo suas identidades roubadas, dinheiro retirado de suas contas e pagamentos fraudulentos feitos nos seus cartões de crédito.

 

Como detetar uma fraude?

Passar pela experiência de ter as suas informações pessoais roubadas, pode ser muito angustiante, por isso é muito importante estar atento aos seguintes sinais de alerta:

 

1) Mensagens de email suspeitas do seu banco

Desconfie e fique atento: cada vez mais é frequente receber emails a solicitar que clique numa ligação para "verificar" ou atualizar os detalhes da sua conta. Nunca clique numa ligação destas, use o site do banco através da pesquisa no Google.

Saiba o que o seu banco nunca lhe pedirá para transferir dinheiro da sua conta para uma nova por "razões de segurança" ou o seu PIN de acesso.

 

2) Chamadas perdidas e não identificadas

Não assuma à partida que alguém que ligou para o seu telefone ou tenha deixado uma mensagem de correio de voz é quem diz que ser.

Se alguém lhe oferecer um presente ou prémio, através de uma chamada telefónica, seja cauteloso. Pesquise sempre mais informações através da internet, sobre outros consumidores que também já tenham passado pela experiência.

Nunca tente ligar de volta, para um contacto com um indicativo diferente do seu país, pois alguns esquemas mantêm a linha aberta para enganá-lo e ganharem dinheiro com o custo da chamada.

Nunca marque números ou siga ligações fornecidas em emails suspeitos; encontre o site oficial ou número de suporte ao cliente usando um separador no seu navegador de internet.

 

3) Emails com os quais deve desconfiar

Os erros ortográficos são um sinal comum de um email fraudulento. Este tipo de prática fraudulenta é muito comum, pedindo que ajude alguém que está fora do país e que precisa de usar a sua conta bancária para transferir dinheiro, oferecendo-lhe uma parte do valor. Também existem muitas tentativas de burla, com a compra de automóveis e produtos à venda em sites de classificados, solicitando a venda para o estrangeiro, por isso sempre que a escrita tenha erros de tradução, desconfie.

Um e-mail genuíno só irá abordá-lo pelo seu nome, qualquer coisa que comece "Prezado cliente" deve aumentar imediatamente suas suspeitas. Deverá sempre verificar a origem do email, ou seja pesquise o domínio do email na internet, antes de responder.

Nunca responda, clique nos links ou abra os anexos que chegam com o e-mail de quem não conhece a origem.

 

4) Esquemas fraudulentos nas redes sociais

Seja cético. Só porque vê uma informação na página inicial do facebook, não significa necessariamente que seja verdade. Alguém já pode ter sido engando por isso.

Verifique sempre a ligação antes de clicar. Você pode fazer isso pairando sobre a ligação, olhando diretamente abaixo do próprio link na publicação do Facebook, que mostrará o URL (endereço) do site referente.

Seja muito suspeito quando há uma ligação à ação antes de poder visualizar o conteúdo. Ações, como ter que compartilhar a notícia antes de a visualizar ou fazer uma pesquisa, são todos grandes alertas vermelhos.

Nunca compre numa alegada loja online no facebook, sem antes verificar que tem acesso aos contactos da empresa vendedora e que esta existe mesmo. Hoje em dia, qualquer particular pode criar uma página no facebook e fazer-se passar por uma empresa, prometendo a venda de um determinado produto sem o ter.

 

5) Métodos de pagamento por referência multibanco

O fornecimento de uma referência multibanco para pagamento de uma compra, está normalmente associado a uma empresa e por isso cria a falsa expectativa de segurança. Ora, hoje em dia este tipo de pagamento está ao alcance de ser contratado por qualquer cidadão particular, sem ter que constituir uma empresa, o que facilita a omissão dos seus dados bancários no momento da fraude.

Nunca pague nenhuma referência bancária sem ter a certeza que poderá identificar o vendedor.

 

6) Navegação segura em compras online

Antes de começar a fazer compras on-line, proteja seu dispositivo (computador, tablet ou smartphone) com software anti-vírus. Isso irá ajudar a bloquear pop-ups e "cavalos de Troia" normalmente usados pelos hackers, para invadir o seu equipamento.

Verifique o URL: use apenas sites seguros para compras, nunca compre nada num site que não tenha 'https' no início do URL e também procure o ícone com um cadeado fechado no seu navegador.

O negócio é bom demais para ser verdade? Não seja seduzido por "pechinchas" de empresas que você não conhece, se algo parece ser bom demais para ser verdade, provavelmente não é.

Apenas compre com as empresas que conhece e confia: cuidado com sites falsos. Deve sempre verificar o endereço do site, se tem uma ortografia diferente ou um nome de domínio diferente do que o original da marca.

Loja de casa: usar hotspots WiFi públicos, como aqueles que são oferecidos por cafés e centros comerciais, pode deixá-lo vulnerável. Se não esperar até chegar em casa, use a sua própria rede de dados móveis 3G / 4G.

Nunca compre nada, sem antes pesquisar! Use o Portal da Queixa e os motores de pesquisa, para verificar a opinião dos outros consumidores. Seja cauteloso e assim terá muitas mais hipóteses de fazer bons negócios online.

 

 

 


Comentários