Ginásios: Fidelizações e débitos diretos são as principais reclamações dos consumidores

65% das reclamações dirigidas aos ginásios através do Portal da Queixa, são relativas a fidelizações e débitos diretos indevidos.

Informações
Esta notícia foi lida 6866 vezes
Partilhe

O Portal da Queixa registou um aumento no número de reclamações dirigidas aos Ginásios, das quais 65% dos casos são relativas às fidelizações, débitos diretos e rescisões contratuais.

Fitness Hut, Solinca e Fitspot Academias são as marcas mais visadas, a quem os clientes fazem chegar as suas insatisfações.

 

Fidelizações

Maria Almeida fez a inscrição apesar de não poder frequentar de imediato o ginásio. Eis o que aconteceu, tal como descrito na sua reclamação:

 

(...) disse que independentemente da data de inicio não seria cobrado nenhum valor até iniciar a frequencia do ginásio (...) qual o meu espanto quando recebo mails a solicitar pagamento multibanco mas de valores acumulados, como se eu estivesse efetivamente a frequentar o mesmo.

 

O primeiro conselho é que se deve ler muito bem o contrato e não assinar nada no mesmo dia. Esclarecer todas as dúvidas que tenham junto da entidade. No fundo, uma cláusula que imponha a duração do contrato, em si, não é cláusula ilegal ou que seja inválida, desde que se atribua ao consumidor uma vantagem económica como contrapartida.

 

Débitos diretos

Nuno Cardoso sente-se lesado após verificar que a Fitspot Academias debitou 4,99€ da sua conta. Na reclamação explica porque considera um abuso:

 

Eu cancelei a minha inscrição no Parque Nascente Health Club à mais de 3 anos tendo também procedido ao desativamento do débito direto através de uma caixa multibanco (...) foram capazes de pegar na autorização de débito direto (...) e tornaram a reativá-la no dia 3 de outubro de 2017.

 

Ao dirigir-se ao ginásio a resposta que obteve foi a seguinte:

 

(...) informaram que foi erro não do ginásio do Parque Nascente, mas sim dos "credores" e que para resolver a situação teria de a resolver com o meu banco.

 

Relativamente a este tipo de pagamento por débito direto, disponibilizado pelos ginásios, deverá existir sempre uma alternativa, que poderá ser por transferência bancária, referência de pagamento por multibanco ou por entrega em dinheiro. Por conseguinte, poderá sempre utilizar como argumento as diretrizes do banco de Portugal: o consumidor tem sempre liberdade de aceitar ou recusar o pagamento de débito direto.

No fim, fica à decisão do consumidor aceitar ou não o débito direto, tendo em conta que até pode compensar. É sempre recomendado verificar o extrato da conta todos os meses.

 

Rescisões de contratos

Ricardo Passos estava inscrito no Solinca, com o qual assinou um contrato, mas pretendeu rescindir em 2016. Contudo, a situação prolongou-se sem desfecho e o cliente viu-se obrigado a demonstrar a sua insatisfação:

 

Em 30 de Novembro 2016 foi entregue em mão um pedido de cancelamento nas instalações Solinca,
Para surpresa nossa, em Dezembro e Janeiro caiu na mesma o Débito Direto da mensalidade na conta bancária, tendo-se pedido ao banco para anular o mesmo.

 

O cliente admitiu que inicialmente não encontrava o comprovativo, e a situação continuou mesmo pedindo todos os meses ao ginásio que encontra-se o pedido de cancelamento enviado. Até que:

 

Encontrou-se uma cópia de segurança da conta de email do computador e não só a declaração que tinha sido entregue em mão como ainda por cima, a mesma havia sido enviada também por email (...)

 

Contudo, a situação não se resolveu, afirmando a própria entidade o seguinte:

 

(...) a declaração enviada da sua parte, não especifica realmente para onde se desloca, sendo apenas possível o cancelamento por motivos profissionais por mais de 50 quilómetros do clube, posto isto, não podemos aceitar o que nos envia (...) Relativamente ao cancelamento, apenas podemos contar o mesmo a partir deste momento em que comunica novamente connosco, pois até então não tivemos mais feedback da sua parte

 

Nestes casos, se não existir vínculo contratual, será mais fácil rescindir, bastando uma comunicação por carta registada ou entregue no próprio ginásio ficando com um comprovativo.

Se existir uma fidelização, tem de ser apresentada uma razão objetiva (não bastando apenas referir situações de doença ou desemprego). Convém invocar um motivo válido. Caso contrário, pode dar lugar a penalização por parte do ginásio.

 

Fitness Hut: http://portaldaqueixa.com/marcas/fitness-hut/

Solinca: http://portaldaqueixa.com/marcas/solinca-health-and-fitness-s-a/

Fitspot Academias: http://portaldaqueixa.com/marcas/fitspot-academias

 


Comentários