Ranking na categoria
Partilhar esta página
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Ascendi - Recebi 72.000 euros de multas de portagens

Sem resolução
1438014
49205
0 gostos
Luis Santos apresentou a reclamação

Boa noite
Eis que sou mais um dos lesados nas scut e autoestradas portuguesas.
durante o mês de Setembro, Outubro e Novembro de 2014, recebi, nada mais nada menos que 72.000 euros de multas das finanças, referentes a auto estradas e scuts que supostamente utilizei em Portugal, no decorrer do ano 2012 e 2013.
Ora acontece que de facto, motivado pela substituição do para brisas do meu carro e pela troca de identificador, normalmente circulei pelas diversas auto estradas e scuts de Portugal, recebi alguns avisos para pagar as auto estradas e fui de imedito pagar todas elas, ate que um dia recebo uma carta da ascendi e outra da Brisa onde no total davam cerca de 4.800 euros de autoestradas a pagar, já com multa.
ainda que reclamando, e dado que me encontro no estrangeiro, pedi para a minha esposa ir as finanças ver o que se estava a passar, ao que o director das finanças de Pombal, alegadamente disse que, teriam sido varias as passagens que fiz e embora elas no extrato não esteja identificadas muito explicitamente, o melhor era pagar e arrumava o assunto.
a minha esposa reclamou algumas e fez um acordo de pagamento para as restantes, cerca de 4000 euros, que estamos a cumprir na integra.
Eis que 2 meses depois, recebemos, 230 oficios em casa com um total de 72.000 euros de multas ou seja, multas por pagar atrasado, multas por andar na autoestrada, guias de acrescimo, multa sobre multas, enfim, o carteiro veio propositadamente para nós.
Muito honestamente, não consigo sequer pensar direito dado que é tanto dinheiro (tanto quanto custou a minha casa) que não consigo arranjar adjectivos para pedir ou justificar seja o que for.
Portanto, paguei as multas, paguei as auto estradas e agora sou notificado pelas finanças para pagar mais multas e o cumulo disso é que como não paguei nos 15 dias seguintes, cada uma das 230 já recebeu mais 38 euros de custas e como voltei a não pagar (os 72.000 euros) já recebi mais 230 oficios com mais 38 euros cada um, portanto, cada um dos 230 oficios custam-me 72 euros por mes de multas porque não pago os 72.000 euros ou seja 16.560 euros por mes de custas porque não paguei os 72.000 euros que, agora em vez dos 72.000 euros já devo 72.000+33.120 euros ou seja 105.120 euros em portagens, imaginem portangens que estão pagas e pese embora algumas delas fora do prazo as mesmas já continham juros de mora e taxas de atraso e custas ou seja uma portagem de 2.5 euros, custou-me 25 euros mais 38 euros de custas e depois este valor somado ou seja 25 euros (minimo da lei) ou seja 63 euros numa portagem de 2.5 euros mas o pior ainda é que pegaram nestes 63 euros e transformaram em 630 euros ou seja 10 vezes mais novamente acrescidos de mais 38 euros de custas, mais custas) a confusão é de tal ordem que nem eu sei como fazer.
Uma coisa é certa, estou desempregado, tal como a minha esposa, já não tenho carro, a minha casa está penhorada ao banco e já não pago a 3 anos o credito e agora gostaria de saber o que fazer, e como fazer, será melhor eu e a minha esposa virarmos sem abrigos e viver se pedidos e ajudas, mendigar na rua de uma lei, de uns decretos de lei duvidosos, decretos sem sentido absolutamente nenhum, principalmente porque eu paguei as portagens, estão pagas e outras estão em acordo e a cumprir o acordo, portanto não há nada em atraso e nas que foram pagas, já foram tambem pagas custas e juros e juros das custas e sei lá mais o que.
ora, entregamos o processo ao advogado que diz e cito " pouco há a fazer, embora hajam ilegalidades, vamos recorrer mas não prometo nada" depois temos outro problema, eu não tenho dinheiro para pagar ao advogado nem muito menos as custas de tribunal que são de 306 euros por cada multa ou seja 70.380 euros de custas para recorrer ao tribunal...
Não sei o que fazer, estou completamente de rastos, estou em depressão, estou doente, não como, não durmo, não sei mesmo o que fazer pelo que, gostaria de uma vez que se fizesse justiça nesse país e me ajudassem a perceber e a resolver a situação
já ando em medicos com a minha esposa porque entramos em depressão os dois, já não sei de nada, so sei que dentro de 1 ano devo 1 milhao de euros as finanças

09 jan 2015
Luis adicionou uma resposta

Boa tarde a todos.
Cumpre-me informar ou esclarecer alguns pontos aos comentários aqui descritos e me parecem, estar a criar algumas duvidas.
Sim, é verdade que eu, Luis Santos utilizei em meu nome pessoal um dispositivo de via verde entre o ano de 5/2007 e 9/2012 as quais cumpri sempre e na integra a minha obrigação, paguei sempre, porém em 9/2012, o meu identificador foi trocado do anterior para um dos mais modernos e estava em nome da empresa da qual eu era funcionário, andava na minha viatura pessoal, no entanto quer a via verde quer o combustivel era suportado pela mesma empresa, que foi, segundo informação que me foi dada, notificada pela Ascendi e Brisa para proceder ao pagamento de algumas portagens que, supostamente não estava a ser debitado na conta bancária da empresa.
Também segundo informação, ou a empresa não foi notificada ou não se interessou, as concessionárias, comunicaram as finanças e estas ao proprietário do veiculo (eu) ou seja quando vieram os autos vieram de imediato em meu nome pessoal, apenas para pagar o valor das portagens que totalizava mais de 4.000 euros e precisamente para não ter problemas, solicitei de imediato o pagamento de algumas e as restantes fiz um acordo de pagamento com as finanças, ao que me foi dito "assim fica tudo regularizado e fica tranquilo", claro que, num outro processo judicial, estou a pedir aos meus ex patrões o pagamento dessas portagens, no entanto, na semana sequinte começo a receber os tais 230 oficios das multas e custas de execução fiscal, que totalizam 72.000euros quando quer o contrato de via verde, debito do banco era da empresa para a qual trabalhava, logo as multas que me foram atribuidas não correspondem a verdade dos factos, já está devidamente documentado e provado junto do serviço de finanças, Brisa, Ascendi e neste momento do Ministério Publico que, supostamente daria motivo para anulação dos autos, por, e cito " não constituir a veracidade dos factos uma vez que o identificador não é meu nem nunca foi"
Uma vez se tratar de uma situação que já está em processo judicial, não sei por enquanto qual será o desfecho do mesmo, pela logica e veracidade dos factos, eu tenho toda a razão mas, numa lei que qualquer um dos descretos não é claro, repito não é claro, não sei como vai terminar esta situação, muito honestamente não faço ideia, sei de plena consciencia que, estou isento de culpas e fui até mais serio ao ir assumir, uma vez que estavam em meu nome, o pagamento das portagens...
Existe, ao contrario que muitos poderam especular, uma lacuna grande nesta lei, ela foi de facto "inventada" para nos roubar descaradamente, contudo a propria lei invocada e os decretos aplicados, podem verificar, não são completamente claros na aplicação das sansões, quer no valor das coimas, quer no valor das custas do processo de execução, alguns casos as finanças da nossa área nem competencia tem para "multar" mas isso eu deixarei para os entendidos e não comento mais, não posso.
Esclareço tambem que eu, Luis Santos, não tenho dividas com ninguém, honro todos os meus compromissos, sempre honrei, sejam eles quais forem desde que sejam assumidos ou feitos por mim, estou plenamente tranquilo, contudo no caso das finanças por exemplo, mesmo que pedisse a minha insolvencia pessoal, a divida não ficava extinguida, pelo contrario, neste momento poderá ir até a 5ª geração, mais, não fiz nada de mal, não fiz nem cometi nenhum crime, não existe nenhum contrato assumido por mim pessoalmente e muito menos me sinto na obrigação de pagar o que pertence aos outros, neste caso a uma entidade empregadora de renome nacional, como tal, não me conformo com esta situação e reitero a minha decisão e irei até as ultimas consequencias, até onde possa lutar por um direito que é meu, por uma injustiça, neste caso especifico, por uma negligencia de alguém...recuso-me a aceitar ou a baixar os braços, quem me conhece sabe que sou assim e se perder mais do que o que já perdi, então so me resta uma coisa, voltar a lutar para que isso não aconteca nem a mim nem a ninguém, lutar e voltar a ter uma vida confortável como tive fruto do meu trabalho, uma vida de luta mas, é minha, foi a que escolhi e não vou desistir dela.
Obrigado
Luis Santos

09 jan 2015
Luis adicionou uma resposta

Boa tarde mais uma vez
Para que conste, fui emigrante 13 anos, regressei em 2012 precisamente porque acreditava que algo estivesse diferente neste país...ou melhor nos nossos governantes mas, afinal, tive que emigrar outra vez...mas um dia eu volto!
Obrigado
Luis Santos

27 ago 2020
A reclamação foi considerada "Sem Resolução" por falta de atividade
Esta reclamação foi considerada sem resolução

Comentários (7)

Ver perfil de Henrique Dias

Henrique Dias

Eu acho que isto é lamentavel, pois alguem tem que por mão nisto, Eu já ou vi de funcionario das finanças o mesmo que eu disse " Alguem tem de por mão nisto " Pois o Governo á á algum tempo limitou os juros abusivos das entidades bancarias em relação aos cartões de credito e financeiras, mas agora como o maior lucro é para o estado " Escusado será dizer que está a saber bem " Eu gostaria de saber se quando os clientes não me pagam, se tambem posso pedir ao estado/finanças para efetuarem a cobrança? Pois assim teria sempre o meu dinheiro garantido e o estado ainda ganhava muito mais do que eu sem fazer nada! apenas retirando os funcionarios que deviam estar a tratar de assuntos das finanças com estes servicinhos que dão um lucro extraordinario. Alguem tem que parar isto.. Por sorte ainda não fui um dos contemplados a ficar sem carro para pagar as portagens.... É um facto que se utilizamos um serviço o temos que pagar, mas tudo tem limites. pois o estado devia ser uma pessoa de bem e por factos de conhecimento geral, Não paga a tempo e horas e seria bom que por cada atraso de pagamento de faturas tivesse que pagar tambem como cobra nestes casos e se assim fosse muita gente ficaria bem com os valores que teria que receber do Estado ( Essa pessoa de bem, só para um lado!!!!! ) Feliz natal para todos

Ver perfil de Mário Rui

Mário Rui

Tive uma situação idêntica! Uma vergonha!!! É uma sociedade de advogados em Vila Franca de Xira que me está a resolver a situação, sem ajuda é impossível tratarmos da questão. Esses tipos da AT não são pessoas de bem! Que tudo corra bem.

Ver perfil de Simao Coelho

Simao Coelho

alguém pára estes * PROIBIDO *?

Ver perfil de Simao Coelho

Simao Coelho

empurram aspessoas para o desemprego para depois lhe poderem extorquir os bens.... bando de * PROIBIDO *!!!

Ver perfil de Simao Coelho

Simao Coelho

empurram aspessoas para o desemprego para depois lhe poderem extorquir os bens.... bando de * PROIBIDO *!!!

Ver perfil de Luis Filipe Junqueiro Sobrado

Luis Filipe Junqueiro Sobrado

boa tarde,
entendo perfeitamente o que este reclamante escreve, pois estou a passar pelo mesmo, embora nao com tamanhas quantias.
Mas sabendo eu que corri varias vezes a papelarias e nada constava da minha matricula, meu espanto o sr. da papelaria diz que vou receber uma carta em casa, sim recebi da AT para pagar 2500€ quando as portagens nao ultrapassavam os 5€.
de momento tenho o ordenado penhorado e vivo só e tenho 3 filhos para comer. sera que o governo aceitam ajudantes de * PROIBIDO *? vou trabalhar com eles

Ver perfil de Jorge Martins

Jorge Martins

Bom dia, conheço pessoas em situações semelhantes às vossas, com multas de mais de 50.000 euros. Alguém conseguiu levar o caso a tribunal e reaver parte do dinheiro?