Centro Médico Dentário do Bolhão

Devicequation, Serviços de medicina dentária - SA

Centro Médico Dentário do Bolhão

Centro Médico Dentário do Bolhão

(93.6%)
Agosto de 2019
Melhor Índice de
Satisfação
Atribuído pelos
consumidores

Categoria
Consultórios de Dentária

Telefone: 916787652

Morada
Rua Alexandre Braga, 124, 1º Andar
4000-049 Porto

E-mail
cmdbolhao@gmail.com

Website
http://www.cmdbolhao.com

Recomenda esta marca?

3
2

Partilhar esta página

Centro Médico Dentário do Bolhão - Reclamação

Resolvida
26284519
2458
0 gostos
Andreia Santos apresentou a reclamação

Venho por este meio apresentar a minha reclamação relativamente ao centro médico dentário do Bolhão.
Coloquei o aparelho dia 26 de Janeiro de 2016 onde me foi informado que o meu caso era simples e que no máximo em 2 anos (porque supostamente não poderia andar muito mais tempo com o aparelho) estaria resolvido.
Eu alertei a clínica para o facto de já não possuir um canino (situação essa que ninguém deu conta mesmo com o raio X), o raio X foi pago (25€). Ao alertar e dizer que era para fechar o espaço andaram mais de meio ano a abrir espaço para colocar um implante, algo que eu nunca referi. Depois de muito insistir com o ortodontista começaram a fechar o espaço. Andei quase um ano sem brackets (tubos) nos últimos molares de ambas as arcadas até questionar a clínica onde me disseram que normalmente não corrigem os últimos molares por estarem escondidos. Não entendi e especifiquei que tanto eu como os meus dois irmãos (também a serem tratados na mesma clínica) queríamos que os últimos molares fossem alinhados ao que, no caso da minha irmã, segundo a clínica, não era possível pois não dava para colar o tubo.
Várias vezes viemos com a boca em ferida, é notável que o trabalho não é realizado da mesma forma por todos os funcionários (à excepção do Dr. Luís em que é excelente a tratar dos pacientes).
Em Junho de 2018 dizem que está pronto a ser removido quando eu questiono se os últimos molares iriam ficar assim pois ainda estavam tortos ao que o ortodontista resolveu ver a situação (falta de profissionalismo pois não conhece nem querem conhecer o estado de evolução do paciente). Viu e disse que teria de retirar os sisos.
Tirei os sisos em Setembro e em Novembro (tempo de retirar 2 sisos em lados diferentes e de recuperação pois um dos sisos estava incluso. Mesmo após referir isso à clínica, a mesma chegava a ligar-me duas vezes na mesma semana para marcar remoção do aparelho quando eu já tinha referido que estava tratar de retirar os sisos e que voltaria no fim da recuperação, isto, duas vezes na mesma semana.
Retirei os sisos, recuperei e voltei à clínica no início de Dezembro quando me foi dito novamente que era para retirar quando eu tira referido (e voltei a referir) que os molares da arcada superior ainda não estavam direitos, mesmo assim retiraram os levantes com a justificação de que era para assentar os dentes e mais um mês e estaria tudo pronto. Voltei em Janeiro, sempre a usar os elásticos religiosamente e os dentes continuaram iguais pois afinal os elásticos que me disseram para usar no último molar superior direito afinal seria melhor usar no molar a seguir porque era esse que teria de vir para fora e não o último (conclusão, andei a puxar um molar sem necessidade , já antes de retirar os sisos pois não souberam avaliar corretamente e dizer que a situação dos sisos seria para resolver para poder haver espaço). Espaço esse que existe pois falta o canino.
Ainda no início do tratamento queriam que tirasse os 4 pré-molares por falta de espaço e que era um procedimento normal, situação que eu ignorei e referi que não o iria fazer e o que é certo é que os dentes alinharam sem os pré-molares inferiores serem retirados.
Este mês parece que os dentes estão a começar a ir ao sítio visto terem reparado que estava a mover o molar errado, mas no meu processo já tem a anotação para retirar imediatamente (visto já ter 3 anos de tratamento).
O que é certo é que o espaço inicial ainda não está completamente fechado, por terem tirado os levantes os dentes da frente da arcada superior começaram a inclinar para a frente, não tendo a linha média alinhada (algo que já esteve a meio do tratamento) e os dentes estão a ficar com pequenos espaços entre si.
Relativamente às contenções (fixa e amovível) fui informada em Junho de 2018 que teria de pagar 140€ das contenções + 30€ da remoção do aparelho facto que eu questionei pois qualquer dentista em clínica leva apenas o custo do laboratório (90€ para a contenção amovível) sendo que a fixa é feita em metal.
Sei também deste valor pois o meu irmão já colocou uma placa na arcada superior (com realização de molde) quando questionamos o facto de estar há mais de 2 anos a fazer tratamento usando sempre os elásticos pedidos e não haver qualquer evolução na arcada inferior, quando o ortodontista decide tirar fotografias para pedir um parecer à diretora clínica e onde nos foi comunicado que teria de colocar essa placa mas pagaria apenas os custos de laboratório (90€) questiono-me do restante valor para as contenções? Continuo a achar um absurdo 170€ para contenções e remoção sendo que noutro qualquer dentista (com preços menos competitivos) apenas cobram o valor de laboratório para a contenção amovível sendo que a metálica é feita pela clínica. O que querem fazer ao restante valor? Mais lucro? Não chega o facto de andar há tanto tempo a pagar manutenções onde há avanços e recuos por falta de competência, análise e comunicação por parte dos dentistas.

Sendo que o paciente tem de ser o próprio a fazer a análise do seu processo para ver se está tudo em conformidade ou não? Paciente este sem qualquer conhecimento da área! Acho inadmissível.
Imaginem só se já tivesse retirado o aparelho em Junho de 2018, como a clínica tanto insistiu, com um tratamento com muitos custos e cuidados associados, dentes atrás desalinhados, pequenos espaços entre os dentes e os dentes da frente tortos (para a frente) em que de perfil é perceptível.

Para além de que sempre que realizo uma manifestação há arames a picar atrás no dia seguinte (algo que podia ser verificado pelo próprio médico que apenas nos pergunta se está alguma coisa a picar, algo que não vamos sentir do nada e que podia ser verificado mas não, é tudo a correr e a despachar).
Cheguei a ter de estar com a boca aberta mais do que 15 minutos à espera que o ortodontista viesse verificar se o médico podia seguir o tratamento, pois o ortodontista tinha de acabar de explicar uma reclamação a outro paciente (paciente esse que não pode esperar tendo em conta que acabei por ficar com o lábio cortado).
Todos os meses os arames colocados à volta dos brackets para fazer a força necessária aos dentes saem logo após uma semana após o tratamento, sendo que várias vezes sairam no dia seguinte. Cadeias de arames que ao longo dos meses vão saindo chegando a ficar com arames (que chegam a fazer feridas do nada) de 2 a 3 cm à solta, arames esses que saem e magoam bastante tendo que os cortar na hora.
Estou, supostamente, a terminar o tratamento muito descontente pois:

os valores para as contenções são muito elevados face ao mercado;

Todos os meses tenho problemas com arames que saem fora do sítio e que deixam de fazer a sua função;

Arames no final da arcada que picam por estarem grandes ao ponto de se agarrarem à bochecha;

Espaços que abrem entre os dentes (algo que deveria ter sido visto pelos médicos mas não vêem) e têm de ser os pacientes a referir, ou seja, ao retirar o aparelho não há qualquer confiança pois não querem saber se está realmente resolvido;

Não nos transmitem confiança no que estão a fazer pois por diversas vezes tive de repetir as indicações do ortodontista pois o dentista que estava a realizar o tratamento perdeu-se a meio da explicação (imaginem a situação, sinónimo de falta de profissionalismo), temos de estar muito atentos a tudo o que dizem.
De referir que coloquei o aparelho estético e nunca me foi referido que o tratamento seria mais demorado quando numa das manifestações o dentista me disse que era normal não avançar tão rápido porque era o estético e eu disse que se sabia que ia demorar mais tempo teria colocado o convencional ao que o dentista me perguntou: mas não foi informada antes de colocar? E eu disse que não porque se fosse teria optado pelo convencional que teria sido menos de metade do valor, conclusão, querem que optemos pelos mais caros e para isso omitem informações cruciais na decisão do paciente). De referir que a minha irmã colocou o aparelho convencional no mesmo dia que eu ainda não terminou o tratamento.

Conclusão, estou muito descontente com todo o tratamento e falta de atenção para com o bem estar do paciente sendo que tenho de ser eu a alertar para algo que deveria ser acompanhado e verificado pela clínica. Basicamente têm de ser os pacientes a dizer aos "supostos" médicos o que devem fazer, não podemos confiar a 100% a nossa saúde na clínica pois é de saúde que se trata.

01 Mar2019
Centro Médico Dentário do Bolhão adicionou uma resposta

Relativamente à queixa apresentada temos a referir os seguintes pontos:

1. Efectivamente a paciente iniciou o seu tratamento ortodontico na nossa clínica na data por si indicada. Foi sujeita a um diagnóstico e consequente plano de tratamento. Plano esse que foi discutido e aceite pela paciente, tendo em conta as diversas opções de tratamento. Todas as dúvidas, quer clínicas quer em termos de honorários, foram esclarecidas.

2. Sobre este último tema, relembramos o envio para o seu e-mail, no dia 25/01/2016, e por si recepcionado, nas condições gerais para o início do tratamento. Nelas consta, entre outras informações relevantes, os valores de honorários praticados na nossa clínica.

3. Após o início do tratamento, a paciente decide, por sua vontade expressa, e tal como refere na sua reclamação, alterar o plano de tratamento relativamente a um espaço edêntulo. Embora não fosse a melhor opção, colocando em risco a estética mas não a saúde oral da paciente, portanto a nossa equipa médica anuiu à sua vontade, tendo feito o devido alerta que não seria de todo a situação ideal para aquele espaço.

4. De igual modo ao longo do percurso do tratamento, outras exigências e demandas foram feitas pela paciente e, embora a equipa médica a algumas as tenha sucumbido à sua vontade, outras houve que foram recusadas. A título de exemplo, usaremos a que fez referência na sua reclamação: o"alinhamento dos últimos molares". De facto, os dentes do siso não eram passíveis de serem corrigidos. Quer porque por norma eles não se incluem no âmbito de um tratamento ortodontico quer porque não existia possibilidade prática para tal. A indicação clínica era a extracção, tal como refere e bem na sua reclamação.

5. Os diversos contactos efectuados por parte da clínica para que efectuasse a marcação da data do término do tratamento e da remoção do seu aparelho, deviam-se ao facto de, à data , o tratamento estar clinicamente finalizado. Mesmo com todas as limitações do seu caso, suas exigências e demandas, à data, a equipa médica entendia estarem reunidas as condições clínicas para a sua finalização. Lamentamos se, à data, as suas expectativas não foram cumpridas na íntegra, mas relembramos que as exigências por si introduzidas no plano de tratamento culminaram na situação final (que à data estava clinicamente aceitável).

6. Situação essa que descompensou a partir do momento que esteve cerca de 4 meses sem qualquer tipo de controlo ou vigilância clínica em termos de tratamento ortodontico. Cabe-nos referir que por inúmeras vezes lhe foi dito que a ausência ou falta de controlo clínico pode levar a descompensação nos movimentos indesejado. Ainda que justifique a sua ausência com a extracção dos sisos e sua recuperação, certo é que não foi por indicação da nossa equipa médica esse período de ausência. Essa decisão foi tomada por sua livre e espontânea vontade sem qualquer tipo de aconselhamento médico.

7. Em relação ao tempo de duração do seu tratamento, somos obrigados a relembrar que, tal como referido anteriormente, um tratamento ortodontico em condicional normais tem uma duração média de 24 meses; e salvo excepções que nos sejam alheias podem existir tratamentos com uma duração obrigatoriamente maior ( casos de dificuldade de movimentação, ou grandes movimentações dentárias, ou por motivos biológicos, ou ainda por exigências do paciente e faltas às consultas de controlo, entre outros).

8. Relativamente às situações de urgência que refere, "arames a picar" e brackets que descolam, assumimos que efectivamente essas situações existem sempre. No entanto, a frequência com que acontecem dependem de vários factores. Os mais comuns devem-se à própria mastigação do paciente, à forma como a boca se articula num dado momento e sobretudo ao tipo de alimentos mastigados. Certos alimentos podem descolar arcos e descolar brackets. Situação que somos totalmente alheios como deve compreender. Salientamos que teve conhecimento prévio destas situações quer verbalmente quer por escrito no seu e-mail.

9. No que respeita aos honorários das placas de contenção, ficamos estupefactos com as declarações que constam na sua reclamação. De facto, não só as mesmas tem um valor adequado ao mercado, como teve conhecimento dos honorários das mesmas quer no dia da colocação, verbalmente e por escrito, quer próximo da data de finalização do seu tratamento. Relembramos que a política de honorários da clínica é muitíssimo adequada ao mercado e inclusive, no seu caso em particular, permissiva e facilitadora já que acedemos ao seu pedido no que diz a questões financeiras diz respeito, tendo ajustado os nossos honorários das consultas de controlo.

Assim, em nossa defesa e a título de resumo:
-Consideramos a sua reclamação infundada nos seus vários aspectos. Quer porque houve interferências e demais exigências pela sua parte que obviamente condicionaram o resultado final obtido; quer porque houve nitidamente uma lacuna temporal de 4 meses que descompensou o tratamento na sua recta final; quer porque todas as situações de urgência eram de conhecimento prévio, quer verbalmente quer por via escrita.
- Sentimo-nos traídos na nossa boa fé por esta reclamação, já que durante todo o tratamento a nossa postura foi de educação, conciliadora e de compreensão para com as suas propostas de alteração ao plano de tratamento inicial, procurando sempre fazer melhor clinicamente para a sua saúde oral. De igual modo, fomos solidários consigo por diversas vezes ao longo do tratamento, nomeadamente quando por questões financeiras pediu o nosso apoio solidário para pagamento dos honorários das consultas de controlo.
-Acreditamos que a confiança é a base da relação Médico-paciente. Quando esta confiança termina deve terminar esta relação, bem como terminar e/ou suspender todos os tratamentos em curso. Se, como diz na reclamação, não sentia confiança no tratamento deveria tê-lo referido imediatamente, e nessa mesma altura suspendia-se todo o tratamento e o seu processo clínico seria reencaminhado para um colega à sua escolha.
-Foi com base nesta confiança que anuímos aos seus pedidos, pois entendemos que estaríamos a fazer o melhor por si e pelo seu bem estar geral (físico, psicológico e social). E fizemo-lo sempre com garantia que não iria comprometer a sua saúde oral.
-O que não nos parece de boa-fé é vir reclamar de uma situação que diz respeito às suas opções que tomou e não plano inicialmente proposto.
-O que já nos parece de má-fé, é vir reclamar de honorários quando havia conhecimento prévio dos mesmos e de o fazer no final, após ter usufruído de apoio solidário para pagamento de consultas.
-Ao contrário do que gostaria fazer crer, reiteramos o profissionalismo, a competência, a dedicação e a entrega de todos os nossos profissionais clínicos. Os quais são instruídos para terem uma visão humanizada do paciente, centrada na saúde dos mesmos, sem que qualquer outro motivo lhes tolde a razão ou os procedimentos clínicos necessários.
-Lamentamos profundamente o seu desagrado e a falta de confiança na nossa equipa, mas estamos certos que esta sua reclamação nos fará tirar ilações e nos ajudará com o nosso comprometimento para prestar um melhor serviço sempre.

Disponíveis para qualquer esclarecimento ,

A Administração.

01 Mar2019
Andreia Santos adicionou uma resposta

Não concordo com a Vossa resposta pois apenas falam verdadeiramente quando referem que estive 4 meses sem efetuar as manutenções e quando referem a permissiva solidária que em nada é relevante para a reclamação feita por mim.
Assim sendo, segue a minha resposta.

1 - Nenhuma dúvida foi esclarecida à data da colocação do aparelho relativamente a optar pelo estético ou convencional. A única coisa que referiram foi que o aparelho auto-ligado era mais rápido em cerca de 6 meses a menos relativamente aos restantes e consequentemente mais caro! Nunca me disseram que o estético era mais demorado em termos de tratamento relativamente ao convencional (tendo testemunhas desta situaçao).

Ainda no dia da colocação do aparelho não me foi explicado (nem a mim, nem à minha irmã, que colocamos no mesmo dia), como se deveria fazer a higiene com o escovilhão, apenas nos venderam o kit que era imprescidivel para o tratamento (que realmente o é). Apenas soubemos como usar quando o meu irmão colocou o aparelho dele em Maio de 2016 e aí lhe foi explicado como usar o escovilhão e eu percebi que estava a usar da forma errada.

3 - Eu nunca referi que pretendia alterar o plano após o início do tratamento, aliás sempre deixei claro, desde o dia da colocação, que o meu principal motivo para usar aparelho seria o de fechar o espaço do canino em falta e alinhar a arcada inferior, sempre com a perfeita noção de que esteticamente não ficaria com o melhor resultado, de referir que não estou a reclamar da estética relativa à falha do canino pois isso sempre foi assumido por mim.

4- Quanto aos últimos molares da arcada superior, talvez de má fé Vossa como tanto me acusam para a tentar deturpar a minha reclamação, estou a referir-me, LITERALMENTE, aos ÚLTIMOS MOLARES e não aos sisos.

5 - À data de Junho de 2018, o tratamento não estaria finalizando nem aceitável (como referem) pois os ÚLTIMOS MOLARES não estavam alinhados quando a clínica tanto insistiu para a remoção, algo que eu não aceitei pois não iria ficar com os últimos molares por alinhar depois de tanto tempo de tratamento.

O que a clínica queira talvez dizer, de má fé como tanto falam, foi quando eu questionei, apenas a título de curiosidade, se os sisos quando nascessem se podiam ser alinhados, onde me foi referido que não e explicado o porquê e eu concordei pois supostamente sabem do que falam e não tentei alterar o tratamento como tanto referem, pois não tenho qualquer conhecimento da área para o fazer.
Estão mais uma vez a confundir as coisas para se desculparem, usando situações nunca colocadas em causa por mim.

6 - Decidi sim retirar os sisos, pois os ÚLTIMOS MOLARES não alinhavam, segundo a clínica por falta de espaço, como já referi na Reclamação, concordei mais uma vez com a indicação dada pelo ortodontista.
Estive sim, esses 4 meses sem efetuar a manutenção mas sempre usando os elásticos sugeridos (pois pedi vários pacotes devido a essa situação), mas não foi isso que fez com que os dentes da frente ficassem inclinados para a frente pois quando eu me dirigi à clínica, em Dezembro de 2018 após a recuperação dos sisos, estes estavam direitos.
Apenas começaram a inclinar após a retirada dos levantes, situação acontece pois os dentes superiores batem nos brackets inferiores acabando por inclinar (situação essa que já referi à clinica e que será resolvida na próxima manutençao com uma cadeia).

8 - Os arames a picar atrás no tubo e as cadeias metálicas partem por mastigação? E os arames à volta dos dentes, que partiram na colocação pelo ortodontista, por duas vezes, partem no dia a seguir por mastigar pápas (pois é natural, como devem saber, as dores nos primeiros dias a seguir à manutençao nos impossibilitam de comer)?

9 - No que respeita à permissiva facilitadora e solidária que referem, agradeço imenso tal situação e nunca referi isso na minha reclamação, mais uma vez nao sou eu que estou a agir de má fé. Reclamei sim dos preços das contenções pois estou informada dos preços praticados pela concorrência, continuando a dizer que são exagerados, na minha modesta opinião.

10 - De referir outra situação que não expus na reclamação inicial, mas visto estar a agir de má fé como me acusam vou relatar tudo. Ainda a meio do tratamento reparei, pois tiro fotos todos os meses após a manutenção, que os dentes da arcada superior estavam a inclinar, facto que tive de alertar a ortodontista onde verificou a situação e referiu que estava a ser exercida força a mais e daí a inclinação, força essa que mais uma vez, após o meu alerta, foi corrigida mostrando que tenho de estar 100% alerta e desconfiada do trabalho efetuado. E esta situação ocorreu antes da paragem dos 4 meses sendo que até esse momento sempre cumpri à risca o que me era pedido, qual é a justificação da clínica para esta situação? A minha má fé?

11 - Quanto à preocupação com o paciente e ao profissionalismo que tanto apregoam tenho outra situação a relatar. No passado dia 24 de Fevereiro de 2019, dirigi-me à clínica para saber o estado do tratamento, do efeito dos elásticos e para alertar para a inclinação dos dentes da arcada superior, quando a colocação de um dos elásticos foi alterada e o outro manteve-se, alterando apenas a força do mesmo (até aqui tudo muito bem!).

Quando ia a sair, decidi perguntar ao ortodontista o que achava do estado do tratamento e se seria para manter um dos elásticos apenas alterando a força e mudando o outro quando o próprio reparou que o elástico que teria sido trocado estava na posiçao errada, chamando pela colega para corrigir, ou seja, se eu pudesse confiar a 100% no profissionalismo da clínica e dos seus profissionais, nao iria fazer qualquer questão, vindo embora com o elástico a exercer a força no local errado.

De referir ainda que no final quando perguntei pelos elásticos o ortodontista referiu para tentar usar a força menor (Gorilla) pois com a força maior (Wolf) o elástico iria rebentar mais facilmente e que eu não iria usar os elásticos ao que eu respondi que usaria na mesma e o ortodontista riu-se, na minha opinião como que a duvidar de mim (o que foi sem sombra de dúvida de mau tom) e eu pedi para trazer elásticos as duas forças mas que ia usar os mais fortes mesmo que partisse colocava de novo, foi quando se riu. O que é certo é que até hoje (quase uma semana passou), usando os elásticos sempre, retirando apenas às refeições como sempre, ainda não rebentou nenhum elástico.

Isto é que é "profissionalismo, competência, dedicação e entrega aos pacientes?"
É que na minha ótica de ver as coisas, algo aqui está errado na clínica, pois supostamente os pacientes devem conseguir e poder confiar e estar descansados, o que no meu caso nao posso descurar, como já referi e volto a frisar.
Contudo, não pretendo com isto agir de fé para com a clínica e sim alertar a mesma de que tem profissionais que não estão atentos ao seu trabalho nem preocupados com os pacientes como tanto referem, pois se o fizessem não teria de dar as indicações nem de perguntar várias vezes como o faço.

De salientar que pretendo terminar o meu tratamento com a Vossa clínica pois têm todo o processo e visto este estar no fim, se não for alvo de repercussões por transmitir a verdade aos consumidores, sim porque eu não preciso de buscar assuntos não referidos nem reclamados para me defender nem acuso ninguém de má fé.

De salientar ainda que mesmo querendo passar o tratamento para outro colega, algo que já cheguei a tentar junto de 3 dentistas quando aconteceu a situação da primeira inclinação dos dentes com a força exercida a mais, a meio do tratamento ao que obtive a mesma resposta nos três: "Para dar continuidade ao tratamento teria de retirar todo o material e colocar de novo pois não confio no trabalho nem nos materiais usados por essa clínica.". De salientar que isto são declarações feitas por três clínicas dentárias distintas em que uma delas já pegou num tratamento que estava a ser feito na Vossa clínica.
Posto isto como querem que eu me sinta quando a clínica me acusa de má fé e apregoa profissionalismo quando os próprios colegas de profissão não confiam no Vosso trabalho?
Poderei eu continuar a confiar até ao fim do tratamento pergunto eu, visto a clínica colocar "o lugar" à disposição? Se fosse eu no lugar da clínica e não tivesse realmente culpas no cartório tentaria resolver a situação do paciente pois são situações que realmente aconteceram, tentando me desculpar e não despachando o paciente para outro colega assumindo assim a minha culpa, mas isto é apenas a minha ótica de ver as coisas e a minha solução para o problema.

Apesar das acusações infundadas da Vossa parte, com os meus melhores cumprimentos,

Andreia Santos

18 Mar2019
Andreia Santos alterou o estado para Resolvida
18 Mar2019
Andreia Santos avaliou a marca

7/10

Sim

Voltaria a fazer negócio?

Com base na resolução e resposta a esta reclamação recomendo a marca.
A situação ficou esclarecida.

Esta reclamação foi considerada como resolvida

Comentários (0)