EDP Comercial

EDP Comercial - Comercialização de Energia, S.A

Novembro de 2019
Melhor Índice de
Satisfação
Atribuído pelos
consumidores

Categoria
Electricidade e/ou Gás - Mercado Livre

Sobre

A EDP Comercial é a empresa do Grupo EDP que atua no mercado livre de energia.
Com uma oferta integrada de gás natural, eletricidade verde e serviços que lhe dão conforto e segurança (packs Living EDP), inovamos com soluções de energia solar e mobilidade elétrica de forma a construir o futuro consigo.


Telefone: 808 53 53 53

Website
http://www.edp.pt

Recomenda esta marca?

305
650

Partilhar esta página


EDP Comercial - Sem fornecimento de gás desde 25 Outubro 2019

Resolvida
33252619
283
0 gostos
Susana Teixeira apresentou a reclamação

INTERRUPÇÃO DO FORNECIMENTO DE GÁS POR BURLA AQUANDO DA INSPECÇÃO TÈCNICA DE GÁS NO DIA 25 DE OUTUBRO E AINDA NÃO RESOLVIDA HOJE DIA 5 DE NOVEMBRO

No passado dia 25 de outubro esteve presente na minha morada o inspector (*) com a Lic. TG nº 20181/R1, representante da firma BUREAU VERITAS RINAVE que foi a firma que a EDP enviou para fazer a inspecção do gás.
O inspector realizou a medição de dióxido de carbono com o exaustor ligado apoiando o aparelho de medição sobre a curvatura da conduta de evacuação de gases de combustão, isto é sobre o esquentador que estava a trabalhar e então alegou o seguinte:
Níveis de monóxido de carbono elevados acima do estipulado por lei de tal forma que até embaciavam o vidro da cozinha onde está instalado o esquentador.
De referir ainda que aquando da medição de monóxido de carbono em local inapropriado por lei, olhei para o Sr. Inspector com ar de reprovação e este disse: “Está a olhar assim porquê? O aparelho está calibrado!” Eu apenas lhe respondi: “Eu não disse nada”
Informei o Sr. Inspector que o monóxido de carbono não embacia vidros e o que estava a embaciar o vidro era o vapor da água quente que estava a cair na pia da cozinha que o inspector ligou para fazer a inspecção.
Este não gostou da resposta e perguntou-me de forma agressiva: "A senhora é que sabe?"
Respondi que sim, pois sou projectista de gás e sei perfeitamente que o monóxido de carbono não embacia vidros, essa propriedade não tem.
Perante tal, então disse ser da conduta de exaustão do esquentador que deveria ser um arranjo mal feito e estava a evacuar mal os produtos da combustão.
Voltei a responder que estava devidamente instalada e com a curvatura adequada o que não poderia ser.
Então saíu e foi á entrada junto do contador do gás onde estava o colega que o acompanhou e que nunca tinha entrado no apartamento. Voltou a entrar e disse que o colega tinha detectado uma fuga.
Nesse momento as lágrimas já me corriam pelo rosto, pois senti que tudo era justificação para chumbar a inspecção e que nada o iria fazer recuar e que apesar de ser sexta feira iria mesmo cortar o fornecimento de gás que se encontrava ligado ainda no nome da antiga titular Catarina Alexandra Ferreira Antunes Sousa.
Resido neste apartamento já pelo menos há uns 15 dias com fornecimento de gás a funcionar bem no nome da antiga proprietária e cortam-me o gás sem justificação válida e porque já tinham essa intenção desde que chegaram, pois a entrada não foi nada calorosa bem pelo contrário. O inspector quando entrou pela porta disse “sabe que tem de pagar 60 euros”. Respondi que sim e ele disse:”Ainda bem senão ía já embora”.
Volto a referir que o aparelho de medição de monóxido de carbono foi encostado sobre o esquentador junto ao inicio da conduta de evacuação de gases pelo inspector de modo a conseguir atingir níveis elevados em p.p.m. e assim chumbar a inspecção como era a sua intenção.
Quando o inspector estava a fazer a medição nesse local eu olhei directamente para o que ele estava a fazer com ar de reprovação e ele então diz-me: "Está a olhar assim! O aparelho está calibrado!" Respondi-lhe: "Não disse nada".
Antes de sair o inspector disse-me que não era o fim do mundo, isto porque eu estava a chorar, pois não era nada que uns panelões de água quente não resolvessem a situação.
A EDP contactou-me telefónicamente no dia 31 de outubro e agendaram nova inspecção para dia 4 de novembro entre as 12h00 e as 13h59, o que significa que tenho um fim de semana prolongado sem gás e impossibilitada de tomar um duche quente o que nos dias de hoje é inadmíssivel.
Achava eu que hoje dia 4 de novembro tudo se iria resolver, mas enganei-me pois a inspeção nem sequer se realizou.
Eu estava presente á hora marcada, no entanto a EDP conseguiu enviar o mesmo Inspector ao local apesar de me ter garantido que iria enviar outro inspector e não este devido á sua postura incorrecta.
No dia 4 de novembro eram 9h00 telefonaram da EDP comercial do numero 210016001 a perguntar se eu sabia que havia hoje inspeção entre as 12h e as 14h e iria estar presente. Respondi que sim e perguntaram se eu permitia a divulgação de dados devido á proteção de dados que a lei agora exige e eu autorizei. Seguidamente pediram desculpas por eu estar sem gás à mais de uma semana e que hoje dia 4 de novembro a inspeçãoa realizar não iria ser paga, pois a anterior tinha sido mal efectuada. Agradeci e achei o procedimento correto pois é o minimo que poderia ter sido feito numa situação deste tipo.
Acontece que o inspector chegou ás 12h e 15m e para minha admiração o mesmo inspector quando me garantiram ser outro, pois este é um burlão.
O Inspector preparou-se para fazer a inspecção e diz-me que desta vez iriam ser cobrados 50 euros. Fiquei muito admirada pois não era essa a informação que tinha desde as 9h de hoje dia 4 de novembro e disse isso ao Inspector (*).
Este dúvidou da minha palavra, então mostrei-lhe a chamada que estava registada no meu telefone.
Disse que ía embora sem realizar a inspecção pois não tinha essa indicação, ainda pedi para ligar á EDP a confirmar. Ligou á sua firma e disseram que nõa tinham indicação para não pagar.
Bem eu não entendo nada desta situação, cada um diz o que quer ninguém se entende, passa de colaborador para colaborador e ninguém resolve.
Sem fornecimento de gás desde o dia 25 de outubro com uma menina menor a viver comigo, minha filha, e ambas sem banho de água quente onde residimos. Esta situação é GRAVE e URGENTE para resolver, ninguém se interessa de a resolver. Todos dúvidam da minha palavra.
Seria realmente bem mais fácil se eu não fosse projectista de gás e engolisse o que o inspector me disse de olhos fechados por desconhecimento, mas não é o caso e não posso aceitar que me burlem e eu a ver que estou a ser burlada e deixe para lá por e simplesmente para compactoar com o sistema.
Acredito que muita gente tenha sido burlada por desconhecimento e por essa razão escrevo este texto, para que me ajudem e outras pessoas venham também a ser alertadas para que casos destes no futuro não ocorram mais.
Precisamos de inspector dignos e corretos a fazer o seu trabalho e não corruptos.
Ajudem-me por favor a divulgar esta situação, nada agradável e acho que ninguém gostaria de estar neste momento a passar por isto.
Agradeço a quem me conseguir ouvir,
Com os melhores cumprimentos,
Susana Teixeira
Tlm: 919676806
NIF: 195239636

04 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Caro cliente, estamos a analisar a situação apresentada por si que desde já lamentamos.
Entraremos em contacto consigo assim que possível.

Com os nossos cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

05 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Considerando que esta reclamação foi apresentada no Livro de Reclamações Online, informamos que a mesma merecerá oportunamente resposta através dessa via, a qual, nos termos legais, será também remetida à ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

Com os melhores cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

05 Nov2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
05 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Não está nada resolvido, continuo sem gás natural pois o mesmo foi cortado indevidamente, pois fui alvo de burla aquando da inspeção técnica de gás.

05 Nov2019
Susana Teixeira reabriu a reclamação
05 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Em baixo anexo a entrada de ar situada na parede da cozinha para renovação de ar devido à chama de combustão do esquentador libertar monóxido de carbono.
Esta ventilação existente aquando da inspecção no dia 25 de outubro não foi devidamente valorizada pelo Senhor Inspector que reprovou a instalação alegado níveis elevados de monóxido de carbono, mas existe ventilação natural para renovação de ar, como podem verificar.


05 Nov2019
Susana Teixeira editou a reclamação
05 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Anexei o ficheiro abaixo por ser importante


05 Nov2019
Susana Teixeira editou a reclamação
15 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Na sequência da resposta prestada, enviada para o seu endereço eletrónico, consideramos que a situação que nos reportou foi devidamente esclarecida.

Estamos disponíveis para esclarecer as suas dúvidas através da sua área de cliente em edponline.edp.pt, em edp.pt, da linha de atendimento a clientes 808 53 53 53 (dias úteis, das 8h às 22h), ou nas nossas lojas.

Com os nossos cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

15 Nov2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
15 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

A reclamação não está resolvida pois ainda não tenho fornecimento de gás. Isto desde o dia 25 de outubro de 2019 e hoje é dia 15 de novembro de 2019. A carta com a resposta às reclamações efectuadas á EDP ainda não chegou á minha caixa do correio. Pelos vistos todas as entidades conhecem o teor desta carta, excepto eu. A EDP vai mais longe ainda disse-me telefonicamente no dia 8 de novembro que o contrato de fornecimento de gás ou era com eles, EDP, ou não era...
Na verdade até hoje dou-lhes razão, pois por duas vezes fiz contato de fornecimento de gás com a Goldenergy e por duas vezes o mesmo contrato não existe. Que pensar disto tudo...

15 Nov2019
Susana Teixeira reabriu a reclamação
20 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Tentámos contactá-lo para dar seguimento ao seu pedido, sem sucesso.
Em breve, voltaremos a efetuar nova tentativa de contacto.

Com os melhores cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

20 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Sim recebi uma chamada do numero 210016001 e tentei retribuir a chamada, mas diz que o número não está atribuído.
Para a próxima vez um numero contactável.

20 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Agradeço que me indiquem um número contactável, se possível,
ou se pretenderem podem telefonar agora.

22 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Tentámos contactá-la para dar seguimento ao seu pedido, sem sucesso.
Em breve, voltaremos a efetuar nova tentativa de contacto.

Com os melhores cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

22 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Na sequência da resposta prestada, enviada para o seu endereço eletrónico, consideramos que a situação que nos reportou foi devidamente esclarecida.

Estamos disponíveis para esclarecer as suas dúvidas através da sua área de cliente em edponline.edp.pt, em edp.pt, da linha de atendimento a clientes 808 53 53 53 (dias úteis, das 8h às 22h), ou nas nossas lojas.

Com os nossos cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

22 Nov2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
22 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Boa tarde:

A inspecção realizada a 25 de outubro de 2019 não cumpriu o estipulado por lei de acordo com o documento IPQ CT 01 / OIG para a Medição do Monóxido de Carbono Diluído no Ambiente (COamb), que refere: “A recolha dos produtos da combustão deve ser feita a uma altura entre 1,5 e 2m acima do nível do pavimento do compartimento e a uma distância máxima de 1,5m do aparelho de maior potência”.
Acontece, que o senhor inspector ultrapassou a altura de 2 metros acima do pavimento (ver imagem com reta horizontal a vermelho a delimitar os 2 metros de altura) ao efectuar a medição com o detector de CO apoiado na curvatura da conduta de extracção do esquentador (ver imagem com local assinalado com círculo vermelho), mesmo por cima do próprio esquentador, isto é, directamente sobre a chama (ver fotografia anexa). Acontece que a medição nesse local NÃO É PERMITIDA POR LEI.

22 Nov2019
Susana Teixeira reabriu a reclamação
22 Nov2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Altura de 2 metros assinalada a vermelho na imagem anexa


26 Nov2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Caro cliente,

Na sequência da resposta prestada, enviada para o seu endereço eletrónico, consideramos que a situação que nos reportou foi devidamente esclarecida.

Estamos disponíveis para esclarecer as suas dúvidas através da sua área de cliente em edponline.edp.pt, em edp.pt, da linha de atendimento a clientes 808 53 53 53 (dias úteis, das 8h às 22h), ou nas nossas lojas.

Com os nossos cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

26 Nov2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
02 Dez2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

INSPECÇÃO DE GÁS INCORRECTA - QUASE UM MÊS SEM GÁS

02 Dez2019
Susana Teixeira reabriu a reclamação
02 Dez2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Bom dia:

Venho insistir SIM e afirmo que a inspecção técnica de gás realizada a 25 de outubro de 2019 pela firma que a EDP contratou foi incorrectamente mal feita pois a medição de CO foi realizada em local PROIBIDO por lei, da qual anexo fotografia para que verifiquem o local assinalado com um circulo a vermelho, onde foi colocado o detetor de CO (acima de 2 metros de altura).
Anexo ainda os dois relatórios de inspecção técnica para que possam ser comparados, onde se verifica no ultimo relatório realizado a 22/11/2019 que a medição de CO se mantém estável quer com o exaustor ligado ou desligado, pelo que este aparelho, exaustor, não influência a evacuação dos produtos de combustão do esquentador diluídos no ambiente da cozinha como foi alegado de modo incorrecto no primeiro relatório de inspecção realizado a 25/10/2019.
Pode-se verificar que a medição se mantêm em 2 ppm quer com o exaustor desligado, quer ligando o exaustor (ver relatório de inspecção realizada a 22/11/2019 pela GALP que aprovou a instalação de gás chumbada pela EDP anteriormente).
Acontece que a primeira inspecção, realizada a 25/10/2019, registou o valor de 4 ppm com o exaustor desligado e deveria ter mantido o mesmo valor de 4 ppm com o exaustor ligado, (porque a segunda inspecção diz que o valor se mantém exactamente constante), isto se, o detector de CO não tivesse sido mudado de posição para a zona que fica por cima do esquentador de modo a chumbar intencionalmente a referida inspecção a 25/10/2019 por excesso de CO, registando nesse local, NÂO PERMITIDO POR LEI, o valor de 100 ppm, como é obvio, pois estamos mesmo por cima da chama, e volto a repetir, LOCAL NÃO PERMITIDO POR LEI PARA EFECTUAR MEDIÇÕES DE MONÓXIDO DE CARBONO.
A 1ª inspecção registou 4 ppm com o exaustor desligado e deveria ter mantido o mesmo registo de 4 ppm tal como se verificou com a 2ª inspecção técnica em que se registou 2 ppm com o exaustor desligado e 2 ppm com o exaustor ligado, o que significa que o facto de o exaustor estar a trabalharem simultâneo com o esquentador não interfere com a evacuação dos produtos de combustão deste, nem poderia, porque as duas tubagens estão devidamente separadas e fazem a evacuação em separado.

Por toda esta situação estive desde o dia 25/10/2019 até 22/11/2019 sem fornecimento de gás e a morar eu e a minha filha menor nestas condições impróprias e por causa de uma prestação de serviços contratado pela EDP, mal realizado ou intencionalmente mal realizado e eu sem nenhuma culpa desta situação toda, pelo que reclamo que quero ser compensada do valor que paguei pela inspecção incorrecta de 60 euros e também por todos os gastos que tive com deslocações para poder tomar banho de água quente eu e a minha filha menor bem como a energia gasta a aquecer água para encher a banheira para tomar banho de água quente pois estamos numa estação do ano em que faz frio.

Com os melhores cumprimentos,
Susana Teixeira


02 Dez2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Anexo relatório de inspecção técnica realizado a 25 /10/2019:


03 Dez2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Na sequência da resposta prestada, enviada para o seu endereço eletrónico, consideramos que a situação que nos reportou foi devidamente esclarecida.

Estamos disponíveis para esclarecer as suas dúvidas através da sua área de cliente em edponline.edp.pt, em edp.pt, da linha de atendimento a clientes 808 53 53 53 (dias úteis, das 8h às 22h), ou nas nossas lojas.

Com os nossos cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

03 Dez2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
03 Dez2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

A situação não foi nada devidamente esclarecida como me dizem.
Quero que me esclareçam o porquê das diferenças de valor tão grandes, de medição de monóxido de carbono registadas nos dois relatórios de inspeção, um da EDP que registou 100 ppm e por isso chumbou a inspeção e o outro realizado pela GALP que registou 2 ppm e por isso aprovou o fornecimento de gás.
Não posso concordar que nada me tenham a informar perante um desfasamento de leituras tão grande, isto é de 100 ppm para 2ppm.
A EDP como entidade que é, deveria prezar o cliente admitindo que contratou uma firma para realizar uma inspeção técnica que prestou um serviço incorrecto e devolver ao cliente o valor pago de 60 euros por uma prestação de serviço mal executada e com consequências bem graves que foram não ter direito a água quente em casa para banhos, etc... quase um mês, isto é de 25/10/2019 a 22/11/2019.
Não posso acreditar que me digam que está tudo resolvido só porque já tenho fornecimento de gás. E quem paga todas as despesas que tive por uma incompetência de um mau contrato feito por vocês, EDP.
Os clientes merecem ser respeitados, pois têm direitos.
Eu tenho direito ter água quente na casa onde moro, certo?
Custa assim tanto admitir que houve uma falha e assumir este custo por um erro do qual eu não tenho qualquer culpa?
Sim, o fornecimento de gás foi cortado indevidamente pela firma que vocês EDP enviaram cá a casa para fazer a inspeção técnica e não me digam que cortaram o gás por segurança das pessoas que cá residem, porque isso é falso. Pois não existia nem nunca existiu monóxido de carbono em excesso na minha cozinha. Reclamei esta situação desde o 1º dia, 25/10/2019 e foi preciso fazer uma 2º inspeção técnica por parte da GALP para confirmar que tenho razão. o relatório da inspeção esta anexo a esta reclamação, leiam-no por favor e verifiquem se realmente tenho ou não razão no que digo e reclamo.
Mas não me digam que está tudo resolvido, porque não está NÂO.

03 Dez2019
Susana Teixeira reabriu a reclamação
03 Dez2019
Susana Teixeira adicionou uma resposta

Relatório de inspeção técnica da GALP, anexo em baixo:


04 Dez2019
EDP Comercial adicionou uma resposta

Cara cliente,

Reiteramos as informações anteriormente prestadas.
Analisado o exposto e, após nova reapreciação da situação apresentada, mais não podemos do que reiterar toda a informação transmitida nas nossas missivas anteriores, lamentando, ainda, o facto de não aceitar os esclarecimentos que lhe temos vindo a prestar.

Com os melhores cumprimentos,
Equipa de apoio ao cliente

04 Dez2019
EDP Comercial alterou o estado para Resolvida
Esta reclamação foi considerada como resolvida pela marca, e pode ser reaberta pelo utilizador

Comentários (0)