Espaço Milénio Rent-a-car

Espaço Milénio Rent-a-car

@espaco-milenio-rent-a-car
Ranking na categoria
Partilhar esta página
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Espaço Milénio Rent-a-Car - Considero isto um roubo e uma ilegalidade!!

Resolvida
87609
4277
Ana Baía apresentou a reclamação

Contratei via internet, o aluguer de uma viatura na Espaço Milénio, no Funchal. no passado dia 14 de Agosto, por 15 dias. No acto da entrega do carro paguei a totalidade do aluguer e ficou como garantia o registo do meu cartão de crédito. Quando entreguei o carro, já no aeroporto, detectaram um pequeno ponto no pára-choques que eu afirmei não ter sido feito por mim e apresentei testemunhas do facto, foi feito durante um estacionamento, por terceiros não identificados. O funcionário confirmou que o tipo de toque aparentava, de facto, não ter sido batido pelo próprio mas que iria apresentar o caso ao patrão e posteriormente me telefonaria para me informar da decisão, considerando que o meu contrato tinha uma franquia de 500€. Três dias depois de chegar a Lisboa estranhei a falta de qualquer contacto e verifiquei que, sem qualquer tipo de informação me foram debitados 250€ do meu cartão de crédito. Considero isto um roubo e uma ilegalidade, não me foi fornecido qualquer tipo de factura/recibo nem do aluguer nem da activação da franquia nem me foi apresentado qualquer orçamento justificativo do valor debitado. Comuniquei o facto por carta registada à DECO, à Inspecção das Actividades Económicas da Madeira, às Finanças da Madeira e à própria empresa Espaço Milénio.

10 jan 2013
Espaço Milénio Rent-a-car adicionou uma resposta

Assunto: Dano na viatura 24-JL-03
Funchal, 02 de Setembro de 2011
Exmo. (s) Senhor (s)

Vimos pela presente, manifestar nosso desagrado face à reclamação em discussão, por se tratar de acusações infundadas, que visam sobretudo denegrir a nossa imagem no mercado empresarial.
Gostaríamos de esclarecer que, antes de efectuar o aluguer, o cliente é informado de todas as condições e obrigações contratuais, ficando assim, a seu critério, a decisão de realizar o aluguer, cujo acordo é estabelecido mediante a assinatura de um contracto de aluguer. Mais informo que foi enviado um orçamento no dia 02-03-2011 referente aos valores e condições de aluguer para a viatura solicitada, o qual a Sr.ª Ana Baia concordou e confirmou essas mesma condições, dando procedimento á reserva da mesma.
Ora, perante a situação anterior, o cliente, após assinar o dito contrato, está ciente que é responsável pelos eventuais danos que possa ou possam provocar na viatura, no período de aluguer.
Relativamente ao assunto em decurso, temos a apresentar em nossa defesa o seguinte:
A Sr.ª. Ana Baia no acto da retoma trouxe-nos a viatura danificada, (pára-choques da frente), tendo o nosso colaborador chamado atenção para verificar os mesmos, após verificação do dano, foi informado o procedimento (que iria ser debitado do valor da caução). A resposta da Sr.ª Ana Baia perante esta situação, foi que a viatura tem um fundo de garantia e não se responsabilizava pelo dano efectuado, uma vez que o mesmo teria sido feito por terceiros (desconhecidos) num parque de estacionamento, como salienta na conversa enviada por Correio electrónico.

Os danos efectuados no veículo causados durante o aluguer, não estão abrangidos pelo seguro, tal apólice cobre a responsabilidade civil limitada contra terceiros em conformidade com as leis vigentes no país, estando o nosso contracto de aluguer devidamente claro para que o cliente tenha em atenção que os danos feitos na viatura alugada são da sua responsabilidade.
Informando que o cliente é responsável pelo pagamento de 250.00 € - 1000.00 € ou valor acordado, que no seu caso foi acordado uma caução até 350.00 € para eventuais danos causados na viatura solicitada.
Atendendo ao embate que foi efectuado á frente do veículo e tendo em conta a fragilidade das peças, os pára-choques sendo em fibra tem tendência a parecer que o dano é mínimo, mas ao desmontar, o interior esta danificado, sendo necessário a sua reparação e paralisação, dai o valor debitado.
Referente á factura e recibo dos danos e aluguer, temos emitido e enviaremos pelo correio, conforme informado pelo nosso colaborador. Visto só termos tido o conhecimento do seu número de contribuinte através do portal de reclamações. Pois até á data aguardávamos que nos fosse facultado o mesmo. Mais informo que a factura e recibo são emitidos no final do aluguer a quando a retoma da viatura e verificação do seu estado.
Havendo danos na viatura a factura e recibo é emitido junto com o total dos danos e do aluguer. Não havendo danos a factura e recibo do aluguer é enviado de imediato para o cliente. Uma vez que tivemos de esperar pelo orçamento dos danos e do envio do seu número de contribuinte e atendendo á altura em que estamos (época alta), dai a demora do envio da factura e recibo. Mais informo que tentamos contactar por duas vezes a Sr.ª Ana para 962313234 e não obtivemos resposta.
Junto enviamos orçamento e cópia do contracto frente e verso devidamente assinado pelo cliente, assim como conversas trocadas por correio electrónico antes de ser elaborado o contracto de aluguer. Para que possa analisar e verificar com atenção.


Sem outro assunto de momento
Com os melhores cumprimentos

Ruben Costa

10 jan 2013
Ana Baía adicionou uma resposta

As acusações de que é alvo a Espaço Milénio não são infundades porque:
1º Continuo sem ter na minha posse qualquer documento (recibos, facturas ou orçamento do arranjo da viatura justificativo do valor debitado) além da cópia do contrato que, contrariamente à cópia enviada por Vossas Ex.as não contém qualquer referência a valores pagos ou a pagar;
2º Não me foi solicitado o NIF na altura em que o deveria ter sido feito;
3º Não foi feita qualquer tipo de comunicação do valor imediatamente debitado do cartão de crédito;
4º O vosso funcionário informou, perante testemunhas, que iria contactar o patrão e posteriormente me contactaria (o que não aconteceu);
5º Foi dito ao vosso funcionário que não me considerava responsável pelos estragos (mínimos) da viatura, obviamente, visto terem sido efectuados por terceiros;
6º Não é verdade que tivessem de ter esperado pelo orçamento dos danos para enviar os documentos devidos visto o débito ter dido feito dois dias depois da entrega da viatura e hoje, dia 5, apenas ter recebido resposta às minhas queixas apresentadas, ninguém me contactou quer para apresentar valores ou solicitar o NIF;
7º Também é verdade que, na altura do aluguer, ninguém me tenha informado da hipótese de efectuar seguro que cobrisse danos de terceiros, comno era dever da empresa;
8º Relativamente à Vossa apreciação dos danos na viatura é óbvio que só poderia ser essa, caso contrário, como se justificaria um valor tão exorbitante? No entanto, não corresponde à realidade;
9º O fundo que foi referido ao Vosso funcionário foi o FGA, que não se aplica ao caso em apreciação, foi apenas referido como existente em certos casos;
10º Tudo o que foi exposto configura uma situação de má fé e oportunismo camuflado pela legalidade que não contribui em nada para o bom nome de uma empresa.

10 jan 2013
Espaço Milénio Rent-a-car adicionou uma resposta

Acho que fui bem claro e escrevi de forma mais clara possível para que perceba qual os nossos procedimentos.
Escusa de estar constantemente a dizer que não foi informada e que não sabia das nossas condições contactuais ou de outras mais condições, pois temos como prova (escrita e assinada por si), para que possa perceber e entender que o que estamos informando não é mentira.
Referente ao NIF, a Sr. Ana mais que ninguém, sabia que ainda não nos tinha fornecido o mesmo. Pois acho que se realmente tinha tanta pressa em receber a factura e recibo que tanto anseia, ao menos nos informasse do NIF. Mais uma vez informo que contactamos a Sr. Ana por duas vezes e não obtivemos resposta.
De qualquer forma, já reparei que a sua intenção, não é resolver o problema de forma correcta, mas sim arranjar argumentos para nos difamar. Pois isso não vai acontecer, pois estamos a agir de forma civilizada e correcta.
Pedimos que aguarde a recepção da factura e recibo enviada pelo correio.

Sem outro assunto de momento
Com os meus cumprimentos
Ruben Costa



---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Ex ma Dª Ana Com o devido respeito pela liberdade de interpretação e exigindo o devido respeito pela liberdade de expressão, a apresentação de factos não é sinónimo de Fraude ou Roubo. Com o devido respeito, não tencionamos trocar mais opiniões, apenas aguardar serenamente pela análise das autoridades competentes na matéria.Quando e se justificar.

Sem outro assunto de momento
Com os meus cumprimentos
Ruben Costa

10 jan 2013
Ana Baía adicionou uma resposta

Com o devido respeito pela liberdade de interpretação e exigindo o devido respeito pela liberdade de expressão, a apresentação de factos não é sinónimo de difamação. Com o devido respeito, não tenciono trocar opiniões, apenas aguardar pela análise de autoridades competentes na matéria.

Esta reclamação foi considerada resolvida

Comentários (0)