Ranking na categoria
  • 229442947
  • Rua Dr. Carlos Felgueiras, 98, 1º E
    4470-157, Maia
  • info@excelser.pt
Partilhar esta página

Excelser - Negligência e prejuízos patrimoniais

Sem resolução
4210716
2605
Nuno Vinhas apresentou a reclamação

Venho por este meio reclamar pela falta de diligência na reparação dos danos existentes no meu apartamento há vários anos. Após vários e-mail´s que de nada serviram, constitui advogado, que enviou carta registada com relatório de vistoria técnica efectuada ao imóvel em questão, onde de forma clara e objectiva ficou provado que o mesmo não reúne condições de habitabilidade há bastante tempo, tendo sido fixado o prazo máximo para inicio das obras até final de Maio/2016. A 12/4/2016 a empresa Excelser-Gestão Assistencia Serviços, Lda., cessou as suas funções de Administração do Condomínio, por opção dos moradores, tendo sido substituída por outra empresa, que até a presente data não tomou conhecimento da interpelação escrita e do prazo fixado para inicio dos trabalhos em virtude de não terem recebido a documentação da V/ empresa cessante. Nem após o envio de 7 e-mail´s a referir a gravidade da situação a Sra. D.ª Maria João (Excelser) decidiu colaborar, faltando às promessas efectuadas pessoalmente na presença de 4 testemunhas e insistindo a responder aos e-mail´s de forma evasiva, agindo de forma propositada com o objetivo de dificultar a transição da documentação e resolução de assuntos importantes para todos os condóminos. Face ao relatado e chegando o prazo ao seu término, será minha intenção deixar o apartamento e responsabilizar a empresa Excelser - Gestão, Assistencia e Serviços, Lda., com o NIF 503680133, localizada na Rua Dr Carlos Felgueiras, nº 98-1º - 4470-157 Maia, pelos prejuízos patrimoniais causados com as despesas de alojamento e deslocações, custos acrescidos e transtornos causados. Para além disso, não prescindirei da indemnização devida pela privação do uso da minha habitação

31 mai 2016
Excelser adicionou uma resposta

ALEGAÇÕES

Que ExcelSer – Gestão, Assistência, Serviços, Lda apresenta, na sequência da reclamação apresentada e que corresponde ao nº 4210716:

1. A empresa Reclamada, Excelser - Gestão, Assistência, Serviços, Lda., administrou o Condomínio conhecido por “Edifício Aguarela”, sito na Rua Dr. Mário Cal Brandão, nº 357, freguesia de Águas Santas, concelho da Maia, até ao dia 30 de abril de 2016.

2. O Reclamante é Condómino deste Edifício.

3. As funções da Administração de Condomínio encontram-se elencadas no art. 1436º do Código Civil.

4. A empresa Reclamada não incumpriu com qualquer dos seus deveres.

5. O ano económico do “Edifício Aguarela” termina a 31 de janeiro, sendo a assembleia geral anual realizada no trimestre seguinte, nomeadamente para prestação de contas, tal como sucedeu, também, no corrente ano – 12 de abril de 2016.

6. A Reclamada não se recandidatou ao cargo de entidade administradora do Condomínio do “Edifício Aguarela”, na assembleia de 12 de abril de 2016, tendo sido eleita outra empresa para administrar o condomínio do “Edifício Aguarela”. A reclamada cessou funções em 30 de abril do corrente não tendo, ainda, entregue a documentação do condomínio, na medida em que está a fazer o fecho de contas do mesmo.

7. Entregou, no entanto, à nova administração, os documentos de que a mesma necessitava para iniciar funções, assim como as chaves do edifício, tendo-se disponibilizado, já por diversas vezes, a entregar outros elementos de que a nova administração, entretanto, careça, à exceção dos elementos relacionados com as contas finais do mandato da Reclamada, que estão a ser concluídas e que serão entregues ao novo administrador, em data a agendar, com a maior brevidade possível.

8. As comunicações enviadas pelo Reclamante mereceram da parte da Administração de Condomínio o devido seguimento, que diligenciou no sentido da sua verificação e resolução no que está ao seu alcance.

9. Recolheu orçamentos para a realização de obras de reabilitação da cobertura do edifício, cujos problemas parecem estar na origem das infiltrações verificadas na fracção do Reclamante, e colocou tal assunto na ordem de trabalhos de sucessivas assembleias gerais de condóminos, para que a assembleia, órgão competente para tomar tais decisões, deliberasse acerca de tal assunto.

10. No entanto, a assembleia protelou, sucessivamente, a realização de obras, decisão alheia à administração do condomínio, aqui Reclamada.

11. Na última assembleia realizada no edifício, antes da assembleia em que foi eleita outra administração, realizada em 12 de outubro de 2015, foi deliberado o seguinte: “Ponto 1: Obras de reabilitação do Edifício – ponto da situação e tomada de deliberações, nomeadamente acerca da forma de pagamento das mesmas. Foram apresentados os orçamentos recolhidos para a reabilitação da cobertura, que haviam sido partilhados com a comissão, que acompanhou e reuniu com as empresas e entendeu que os dois orçamentos mais adequados são os das empresas Tecreab e Cherrie. Depois de alguma discussão acerca deste assunto foi deliberado, por unanimidade dos condóminos presentes, recolher-se mais orçamentos, estabelecendo-se como tecto máximo para a realização dos trabalhos em causa o valor € 11’000,00 (onze mil euros). Os orçamentos recolhidos serão apresentados e discutidos na assembleia anual para que, nessa altura, seja tomada uma decisão.”

12. De acordo com o deliberado, foram recolhidos outros orçamentos e foi, uma vez mais, inserido um ponto na ordem de trabalhos da assembleia anual seguinte, que se realizou a 12 de abril de 2016, para discussão deste assunto:
6.Obras de reabilitação do Edifício – ponto da situação e eventuais deliberações;

13. Foi exactamente isto que foi respondido ao advogado do Reclamante , quando dirigiu à Reclamada uma carta registada, a referir os problemas que tem na sua fracção.

14. Como a Reclamada não se recandidatou ao cargo de entidade administradora do Condomínio do “Edifício Aguarela”, na referida assembleia, apenas esteve na assembleia até à discussão do ponto 2, desconhecendo se foi discutido algo relativo às obras de reabilitação da cobertura do edifício.

15. Não foi a Reclamada, mas sim os condóminos do edifício que, agora, adotam este tipo de comportamento, na tentativa de denegrirem, sem qualquer fundamento, o nome de uma empresa com 20 anos de existência, que tem mais de uma dezena de quadros superiores e nunca lesou nenhum condomínio ou condómino, que sempre criaram condições para que nunca houvesse deliberação relativamente à execução das obras, não obstante todas as propostas apresentadas. Face a tal, só se poderá concluir que tais condóminos tiveram uma única intenção, intenção essa que agora é clara, que é tentar que a Reclamada suporte os custos com as obras que há muito deveriam ter deliberado fazer no edifício.

16. Em suma, a Empresa Reclamada, Excelser, Gestão, Assistência, Serviços, Lda., não praticou qualquer ilícito, pelo que requer o arquivamento e encerramento do presente procedimento.


A empresa Reclamada,
ExcelSer – Gestão, Assistência, Serviços, Lda.

05 jun 2016
Nuno Vinhas adicionou uma resposta

Após análise cuidadosa da resposta a reclamação efetuada contra Excelser – Gestão, Assistência e Serviços, Lda, cumpre esclarecer o seguinte:

Conforme v/ e.mail de 18/4/2016 as 17,08h, assinado pela Sra D Maria João, na resposta ao e.mail do mesmo dia enviado as 16,33h, está claro e devidamente confirmado, que as funções de administração da Excelser, encerraram a 12/4. Caso seja necessário, para esclarecer essa v/ duvida e caso exista a possibilidade técnica do portal, estarei disponível para publicação dos mesmos.

Não foi autorizado pela comissão de moradores a realização da assembleia no trimestre seguinte, foi por iniciativa única da Excelser.

Se a Excelser tivesse a pretensão de não se recandidatar, deveria ter comunicado essa decisão, logo após a apresentação de contas efetuada no ponto 1 da ordem dos trabalhos. Não o fez, só após, mais de 1 hora, tempo necessário para os condóminos ouvirem a proposta da empresa concorrente, foi então, já madrugada dentro, que a Sra D Maria João, representante da Excelser, anunciou essa pretensão, fora de prazo, contrariando a sua decisão inicial efetuada antes de tomar conhecimento da presença da outra empresa candidata ao lugar. Mesmo assim, foi efetuada votação, tendo a escolha dos moradores recaído sobre a outra empresa.

No momento da resposta á reclamação, ainda não tinha sido entregue toda a documentação referente ao Edifício, a Excelser não prestou ainda esclarecimentos relativamente aos processos dos condóminos/devedores e quando referem “serão entregues ao novo Administrador, em data a agendar, com a maior brevidade possível”, resposta insuficiente.

A reclamação refere que a Excelser, não informou a nova Administração do prazo fixado para os trabalhos, mas a Excelser, além de contornar a verdadeira questão, não referem data e o teor da sua resposta, não efetuam prova do seu envio, não respondem no sentido de explicar que diligencias fizeram, no sentido de informar a nova administração.

Os condóminos, provavelmente não deliberaram anteriormente a realização das obras na gestão Excelser, talvez, pela experiencia da anterior contratação efetuada, em obras de intervenção do género, nomeadamente na rampa da garagem do Edifício em causa, em que a intervenção não resolveu o problema tecnicamente, nem esteticamente, estando ainda hoje, pior do que estava antes dessa intervenção e do dinheiro gasto. Nem mesmo após várias denuncias dos condóminos, nunca a Excelser fez prova de reclamar a garantia, junto da empresa (Linha Rebelde nif 508414423) , conhecida, referenciada e contratada pela administração Excelser. Contudo, caso existam dúvidas, a Excelser, tem sempre a possibilidade de questionar os condóminos, sobre o motivo de tai decisão.

Aproveito para agradecer ao Portal da Queixa, a possibilidade de apresentação da reclamação, pois só após publicação da mesma, a Excelser começou a demonstrar vontade de fazer o que lhes é obrigatório e solicitado anteriormente por várias vezes e por outras vias.

25 mai 2019
Nuno Vinhas adicionou uma resposta

Até a presente data, a Excelser, não garantiu a realização das obras, nem qualquer indemnização pela privação de uso da habitação em causa. Não assumiu a garantia prestada pela empresa que contratou denominada de Linha Rebelde, que entretanto entrou em insolvência. Ainda hoje a obra contratada por aconselhamento da Excelser, realizada pelos seus conhecidos Linha Rebelde, apresenta deficiências de execução, ainda por corrigir e resolver.

25 mai 2019
Nuno Vinhas reabriu a reclamação
27 ago 2020
A reclamação foi considerada "Sem Resolução" por falta de atividade
06 mar 2021
Nuno Vinhas avaliou a marca

1/10

Não

Voltaria a fazer negócio?

Falta de seriedade e respeito pelos condominos. Incompetentes.

Esta reclamação foi considerada sem resolução

Comentários (1)

Ver perfil de Bernardo Perdigão

Bernardo Perdigão

Nuno Vinhas gostaria de estabelecer contacto consigo. Pode por favor contactar comigo? bernardofperdigao@gmail.com. Obrigado