MEO

Altice Portugal

Ranking na categoria

Categoria
Operadoras de TV, Net e Telefone

Telefone: 16200

Morada
Rua Andrade Corvo, 6
1050-009 Lisboa

Website
http://www.meo.pt

Recomenda esta marca?

630
1518

Partilhar esta página

MEO - Prestação dos serviços, relação e fidelização com cliente

Em tratamento
32813719
99
1 gostos
Manuel Silva apresentou a reclamação

Tentei fazer a reclamação através da plataforma da ALTICE POTUGAL,a minha real fornecedora de serviços de telecomunicações, mas o campo que disponibilizam para esse efeito é curto e não consegui enviar, ou seja, um sítio forjado.

Aqui procurei um campo de reclamação por escrito, só encontrei este.

Vocês querem dar trabalho aos colaboradores do call center, mas estou cansado, farto do vosso serviço em geral e em particular dos vossos call’s center’s com muito blá,blá, pouca resolução e chamada a pagar.

Enfim, otários são aquilo que vocês pretendem que sejamos.

Vamos ao que interessa.

Tenho uma relação com a vossa empresa à umas décadas. Sendo que foi interrompido durante uns anos por ter sido quadro de uma empresa vossa concorrente. Regressei em 2012.
Porque regressei em vez de me manter na minha empresa ? Porque passei à reforma (2012) e vocês, na minha área de residência (Paço de Arcos), ofereciam supostamente fibra, repito, SUPOSTAMENTE !
Adquirimos um serviço M4O. Um bluff, mas quem necessita somos nós, ou sim ou não . Começamos por pagar, e também foi por aqui que optamos, cerca de OITENTA EUROS em 2012. Foi sol de pouca dura. Nunca conseguimos aproximar-nos deste valor, na obstante das diversas reclamações. Ou aparece tráfego fora do pacote, estranhamente dos dois mil minutos não utilizamos 10%, nem coisa que se pareça, ou tráfego de dados fora do pacote, ou sms a pagar, fidelizações por dá cá aquela palha que nos prendem ao sistema ! ou serviços de tv ativos por publicidade fraudulenta ! veja-se, um anuncio de tv que “no dia x pode ver gratuitamente um jogo de futebol entre o Benfica-FCPorto em canal fechado” (SportTV, fa tal com um passivo altíssimo, vossa cliente !). Suspeitei, mas a minha companheira subscreveu na obstante de lhe ter dito que “cheirava a esturro”. Não vimos o jogo, porque nos esquecemos, e partir daí foi activado o canal dito cujo. Lá telefonei, uma vez mais, para o vosso serviço de apoio, depois do blá,blá do costume, exausto e desgastante, pedi a desactivação e o respectivo crédito, serviço entretanto debitado na factura. Não creditarem. ! Mais, debitaram mais uma segunda vez !! Desloquei-me à vossa sede para apresentar mais uma reclamação presencialmente.

Uma tortura meus senhores, uma tortura.

Nunca vi nada, zero, do canal da Sport TV. Boa maneira de pôr os clientes a pagarem a divida da dita cuja.

Vou reclamando, reclamando. De vez em quando as facturas baixam, como à cerca de uns meses atrás, 89€ +/-, mas rapidamente voltam a ser superiores a 100€. Para quem vive de uma reforma de 1000€, a fatia dos telefones e dados é muito alta ! Reclamei à ANACOM, mas a entidade continua a fazer parte do sistema, muita parra e pouca uva. Só um centro europeu sério e honesto que possa efectivamente defender o consumidor. Por cá e tudo farinha do mesmo saco, resta-me aguardar resposta do apoio jurídico da DECO.

Apesar desta relação, uma espécie de amor ódio mantenho hirtos, não um mas DOIS SERVIÇOS ! Verdade. Um em Paço de Arcos, como já referi, e outro em São Vicente do Paul. Este por satélite.

Uma zona com uma taxa de envelhecimento significativa, outra, também significativa, de jovens estudantes e outra de pequenas empresas. Os primeiros, estejam ou não doentes, vêem para o quintal falar com a família, os outros querem utilizar a internet ou máquinas do MB, e a desesperam, a velocidade é bradar ao céu. Estamos apenas a dez kms de Santarém.

Por falar em Santarém.

No passado dia 20 de setembro fui à vossa loja pedir para desbloquearem um rooter portátil (comprado na mesma loja) que estava sempre a pedir o pin, e introduzido o pin , zero, a conexão não era efectuada. Lá fui fazer 22 klms ! Neste contacto reclamei (que a velocidade da net em Paço de Arcos era oscilante, mas mais para menos, baixa ! Comprei um acessório que me fazia falta, um power bank, 25€. Carreguei duas vezes e, depois deixou de carregar. Hoje desloquei-me para efectuar a trocar. Procurei a factura, procurei mas não encontrei. Sou organizado, mas esta não estava no sitio que deveria estar.

Fui calmo porque estaria registada a compra na minha conta-corrente, como é normal. Cheguei à loja ás 18:38. Estava pouca gente e, de seis balcões, estavam três a funcionar. Cerca de quinze minutos depois, dos três balcões, dois estavam livres, mas os colaboradores a executar tarefas administrativas, Aguenta ! Sendo que alguém na minha retaguarda diz “o senhor deseja alguma coisa ?”. Um desproposito esta pergunta. Tinha a senha na mão, 66, mas a observação foi esta.

Fui atendido pelo senhor Rui, ao qual apresentei a reclamação. Foi provar se o acessório estava mesmo avariado. Voltou sem ter testado nada, porque deveria ter deixado o acessório à carga durante um tempo. Não percebi o que foi fazer lá dentro. Ao fim de uns minutos pede-me a factura, expliquei e pedi para consultar a minha conta-corrente.Disse-me que a compra não estava registada na minha conta porque a peça não tinha numero de série. Respondi que nada tinha a ver com isso. Realcei que todos os movimentos deveriam estar registado única e exclusivamente na minha conta, sejam serviços, equipamentos ou acessórios. “Não, não funciona assim e para trocar tem que apresentar a factura ou ir ao seu banco pedir um extrato de conta que comprove o pagamento à Altice/Meo”, disse o brioso. Pedi para chamar o responsável de loja. Surgiu o senhor Ricardo Cavaca com ar de poucos amigos, que confirma o procedimento Perguntei-lhe se era assim que FIDELIZAVAM O CLIENTE, respondeu que sim, não havia outra solução e que plano B era a apresentação do extrato. Saí ás 17:00 conforme entrei, sem resolução e num estado impróprio para consumo.

Não, não podem, bem devem continuar a tratar os vossos cliente como se não precisassem deles, nem criar um batalhão de processos que fazem dos vossos colaboradores robots.

Vou colocar esta história num canal mídia para que as pessoas possam avaliar o desprezo com que Vossas Excelências tratam aqueles que produzem efectivamente as mais-valias com que respiram.

Espero que leiam e me respondam, por forma a, pelo menos, em acalentar em o ego.

Cumprimentos.

MTS

NIF 11285562
19 Out2019
MEO adicionou uma resposta

Boa tarde.

Registamos a sua insatisfação. Para que a situação que reporta possa ser verificada deve expor a mesma através dos canais oficiais de suporte indicados em https://www.meo.pt/contactos.

Obrigado.

20 Out2019
Manuel Silva adicionou uma resposta

Com certeza que não conhecem o 'modus operandi' do sítio que referem.
Estes senhores não querem reclamações escritas nos seus sítios ! querem é que os clientes sigam ou desistam, ou se se querem queixar, queixem-se ao "tota". Se são persistentes e utilizam o tal sítio, levam com jogos de paciência, como se a reclamação pode ser a,b,c,d,e ..., se for 'b' então tem as seguintes hipóteses ; b1,b2,b3,b4, ..., se a hipótese por b3, então pode ; b3.1,b3.2, b3.3 ..., mas nada por escrito.
Se quer reclamar liga16200. Liga para veres como é ! Logo ao início aparece uma gravação a explicar como funciona o serviço, depois escolhe a,b,c,d, ..., depois escolhe a1,a2,a3,a4 ..., ou fim de uns minutos "se quer falar com o operador marque x", tudo isto a pagar.
Estes senhores gozam com os clientes. Geram débitos que os clientes nem se apercebem e se se apercebem não entendem, os que pedem explicações entram num marasmo.
Vocês sabendo disto, mandam os queixosos desta empresa, Altice Portugal, reclamarem onde quiserem mas por aqui NÃO !
Obrigado, gostei da ajuda. Vou aconselhar os meus amigos a reclamarem para o tal 'www.meo.pt/contatos' o contacto que resulta sem resultar.

21 Out2019
Manuel Silva adicionou uma resposta

Para completar esta telenovela, informo ;

hoje voltei à loja de Santarém para efectivamente trocar o acessório (power bank) comprado no dia 20 de setembro pp, contra o que pensava ter sido no início deste mês.

Entrei ás 16:09, com uma confusão.
Diversos clientes de senha na mão à espera da sua vez.
Dos 6 balcões de atendimento, mais um para o empresarial(suponho) e um de apoio, não identificado mas ao que me pareceu, nos monitores era o '7', apenas três estavam a operar, mais o empresarial, que atende de longe a longe, muito trabalho administrativo a executar (?), pelo que observei, e mais o tal de apoio (7).
Ás 16:28 apareceu no monitor a minha senha, A78, para o tal SETE ! Em simultâneo chamou o P10 e P11, três ao mesmo tempo. Começou por atender o P11 que chegou depois do P10 e de mim. Chamei à atenção, de nada valeu. Acabei por ser atendido pelo 1, curiosamente a mesma pessoa (Sr.Rui) que me havia atendido no passado dia 17 (quinta-feira) e que não efectuou a troca porque a compra do acessório não apareceu na minha conta-corrente e eu não tinha a factura para comprovar a compra, nessa mesma loja !
O colaborador recordou-se. Perguntou-me se era para trocar !? Não respondi a desnecessária pergunta.
Entreguei-lhe o acessório dentro da caixa, com o cabo de ligação e factura de compra, tudo impecável. Conformei o que queria, e, estranhamente em vez de ultimar rapidamente a substituição, porque já sabia a causa, e por-me a andar num curto espaço de tempo, não. Pegou no aparelho e na factura e foi, pelo menos quatro vezes à "área reservada", onde é suposto se encontrar a gerência de loja, não sei fazer o quê !
Neste vai e vem absolutamente desnecessário, avolumava-se o movimento de espera.
Depois diversas operações com o computador, deu-me vários papeis para assinar, ultimou a troca e saí.
A culpa maior, não é dos colaboradores, que sofrem com a pressão do movimento e da montanha de processos e procedimentos. Tem medo de errar e serem despedidos.
A culpa é dos chefes, chefinhos e chefões que inventam processos complicados, que não fluem na relação entre as partes, pelo contrário, complicam MUITO. Aliado a tudo isto, é oferecido ao cliente um conjunto de serviços que ficam aquém das suas necessidades, suportados em débitos que podem levantar desconfiança, apoiado por um "suporte" pago, moroso, complicado, pouco eficaz. Acho piada que depois de irmos a uma loja, ou contactar as linhas de apoio, logo de seguida, levamos um uma chamada feita por um sistema automatizado, para respondermos a um inquérito de satisfação, para mostrarem à Anacom que as coisas fluem bem.Por amor da santa.
Não mandem com areia para os olhos dos "otários" a quem vocês chamam "clientes".
Por em regulador, temos um que exerce uma dúbia função arbitrária.
Ficamos na duvida se defende peixe, carne ou o efectivamente o consumidor de serviços de telecomunicações ? É o que temos.
Convém é que Altice Portugal não descore que um cliente satifeito, está fidelizado à prestação do serviço e publicita, gratuitamente, essa/s prestação/ões. Ao contrário, nem quer ouvir falar da Altice/Meo, e propaga uma má imagem do seu serviço. Isso tem custos a médio/longo prazo e a concorrência está atenta.
Cumprimentos
Manuel Tavares da Silva
Paço de Arcos

Manuel Silva está a aguardar resolução da marca

Comentários (1)

'.Ver perfil de Utilizador.'

Utilizador

Boa noite caro Manuel, só quem passou/tem de passar por estes "esquemas" que a MEO interpõe aos seus próprios clientes é que realmente entende tudo o que aqui expõem. Eu tenho de admitir, que esta reclamação a mim pareceu-me 4D porque eu senti-a pelo visor do telemóvel. É lastimável vivermos na era da tecnologia, onde brevemente a internet poderá ser decretada quase como um bem essencial e as empresas responsáveis por fornecer esse serviço viverem à margem de qualquer legislação e controlo. As empresas nunca são devidamente inspeccionadas, mesmo havendo provas de violação da protecção dos dados pessoais das pessoas ( um assunto tão em voga na atualidade, mas em Portugal depois de roubarem tudo é que se mete as trancas à porta), incumprimentos contratuais, falta de transparência com os clientes,etc,etc,etc... Peço desculpa pela invasão da sua publicação. Quero desejar-lhe profundamente a melhor sorte do mundo e informá-lo que não está sozinho. Aparentemente, somos nós consumidores, a última linha de resistência para o que se anda a passar. E se me permite, um forte abraço!