MRW

MRW

Ibercourier-Serviço de Transporte Urgente, Unipessoal Lda
Ranking na categoria
  • 21 958 72 60
  • Rua dos Caniços
    Lomba da Cima - Edifício MRW Nº7
    2625-253 Vialonga
  • qualidade@mrw.pt
Partilhar esta página

MRW - Estes parasitas estão viver á conta do consumidor!

Resolvida
38509
5199
Manuel apresentou a reclamação

Tal como situações aqui já denunciadas, eu também estou sendo enganado, pela transportadora MRW, á qual paguei o transporte de uns artigos que comprei da Austrália, paguei os portes ao vendedor através da internet, a encomenda ao chegar a Portugal ficou retida na alfandega, tendo a MRW enviado s documentos de desalfandegamento, ao despachante A.J.J.Roma de Andrade, sem qualquer autorização minha ou conhecimento, o qual me contactou, e informou que tinha em seu poder os documentos para poder levantar os artigos da alfandega, que caso fossem eles a tratar teria que pagar 45,45 eu, mais outros pagamentos de despesas, caso contrario para me devolverem os meus documentos dos artigos por mim comprados, teria que me deslocar a Lisboa, e pagar o mesmo montante, eu resido em Faro, e paguei á MRW á transporte até á minha residência.
É com desagrado que menciono que em Portugal não á nenhuma entidade que saiba de quem é a competência de fiscalização destas situações, já que já remetia a denuncia á ASAE a qual remeteu para a Direcção Geral de Alfandegas, e esta por sua vez, para a carga Exp da Alfandega, o certo é que todos referem não ter competência de fiscalização.
Antes de mais perante esta situação, é de assinalar, que estamos a falar de vários crimes, cometido pela MRW e pelo despachante, nomeadamente abuso de confiança, violação de correspondência, retenção de objectos/documentos do legítimo proprietário.
Já pensaram á quanto tempo estes parasitas estão viver á conta do consumidor, pois situações destas são constantes, na MRW referiram-me ser o procedimento normal nestas situações, estamos a falar de milhares de euros roubados esta é a palavra indicada, já que não á qualquer autorização do legitimo proprietário, para a transportadora enviar seja a quem for os seus objectos.
Que não exista uma entidade com competência de fiscalização para situações destas é de rir. 

Esta reclamação foi considerada resolvida

Comentários (0)