Segurança Social

Ranking na categoria

Categoria
Serviços Sociais e de Previdência

Sobre

Canal não oficial da Segurança Social.
Para um contacto direto use o portal Segurança Social Direta


Telefone: 300 502 502

Morada
Rua Rosa Araújo, 43
1250-194 Lisboa

Website
https://www.seg-social.pt/consultas/ssdirecta/

Recomenda esta marca?

310
468

Partilhar esta página

Esta é a sua empresa? Clique aqui

Segurança Social - Ausência de pagamento de subsidio de doença em Setembro de 2017

Aguarda resposta
13126417
1300
0 gostos
Paula Torres apresentou a reclamação

Demonstro a minha total indignação após ter contactado hoje (28/09/2017), via telefone, a Segurança Social Direta indagando motivo pelo qual não foi pago o meu subsidio de doença. Estranhamente explicaram-me que foi motivado pela data em que a renovação da baixa de setembro foi efetuada (terminou a 12 e renovada a 13 deste mês), quando infelizmente estou de baixa prolongada devido a doença oncológica, conforme atestado várias vezes através de Juntas Médicas. Ora se a baixa tem sido paga todos os meses entre 24 e 28 de cada mês e não ocorreu cancelamento ou não renovação da mesma, como é que me podem informar que “na melhor das hipóteses e se o sistema informático não falhar, pagarão a 16 de outubro, mas sem compromisso”. Recebi o último pagamento a 24 de agosto e agora vou receber “possivelmente “a 16 de outubro (mais de um mês e meio após último pagamento). Perguntei de que forma poderiam fazer o pagamento de setembro uma vez que tenho, como todas as famílias, despesas fixas que necessitam de ser liquidadas mensalmente. A colaboradora referiu que ainda há poucos dias tinha recebido um pagamento. Pois recebi, o subsidio de desemprego do meu marido, apanhado num despedimento coletivo após 23 anos de serviço na mesma empresa. Trata-se de um direito que lhe assiste e não tem nada a haver com a minha baixa. Como é de calcular o rendimento familiar baixou e as despesas mantêm-se, não se tratando de luxos. Após tantos anos de descontos é este o respeito que têm pelos contribuintes. Quem irá pagar o empréstimo da minha casa ao banco? Quem irá pagar água, luz e gás? Quem irá pagar a alimentação? Quem paga os medicamentos que estou a tomar?
Mais ainda, tenho junta médica agendada para 4 de outubro que fica a 30 quilómetros da minha casa. Quem paga o combustível ou transportes públicos para esta deslocação? Posso alegar que não tenho dinheiro para me deslocar e a junta médica desloca-se à minha casa?
É triste que o que nos dizem é simplesmente “não podem fazer nada…” então quem pode para que eu receba o que tenho direito e está estipulado por lei?
Vou ter o mesmo problema com a baixa de outubro, uma vez que vai ser prolongada devido a intervenção cirúrgica que realizei dia 12 de setembro? Pagam a de setembro a 16 de outubro (sem garantias) e a do próximo mês entre 24 e 28 de outubro? Também não sabem responder?
Eu só peço que a Segurança Social cumpra com o seu dever perante os contribuintes que por sua vez efetuam os seus descontos para a existência de serviços públicos e neste caso especifico, com uma fatalidade de saúde possa ter o apoio que me é devido. Vou pedir dinheiro emprestado por falha da segurança social e a mesma compromete-se a pagar os devidos juros?
Gostaria de ter uma resposta aceitável a esta minha reclamação. A colaboradora ainda informou que este mês o problema foi registado a nível nacional, o que é ainda mais vergonhoso pelo que fiquei sem perceber realmente foi motivado pelo dia de renovação da minha baixa, como afirmou inicialmente ou se foi outro problema que não é passível de ser comunicado.

Paula Torres está a aguardar resposta da marca

Comentários (0)