Performance da Marca
16.9
/100
Insatisfatório
Insatisfatório
Índice de Satisfação nos últimos 12 meses.
Taxa de Resposta
16,4%
Tempo Médio de Resposta
3,8%
Taxa de Solução
16,9%
Média das Avaliações
31,1%
Taxa de Retenção de Clientes
39,5%
Ranking na categoria
  • Canal não oficial da Segurança Social.
    Para um contacto direto use o portal Segurança Social Direta

  • 300 502 502
  • Rua Rosa Araújo, 43
    1250-194 Lisboa
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Segurança Social - Burocracia excessiva e mal organizada/normas incoerentes e penalizantes

Resolvida
1/10
cátia solange pinho barreiros
cátia barreiros apresentou a reclamação
20 de setembro 2016

Encontro-me de baixa médica desde Junho porque tive um acidente, fui operado e encontro-me em recuperação. Em simultâneo fui pai em Abril e essa situação agora veio criar a seguinte situação: aquando o pedido do subsídio de parentalidade escolhi usufruir dos 30 dias após a licença da mãe que decorreram entre 20 de Agosto e 18 de Setembro, no entanto, como me encontro de baixa médica, e segundo as instruções presenciais e também pela linha de apoio da SSD, pedi a suspensão da baixa médica durante o período de 30 dias de licença de parentalidade. Posto isto pressupus que como no dia 15 de Setembro terminava a baixa teria que pedir uma de continuação, pois, obviamente, continuo na mesma situação, é o que faz sentido. E pedia suspensão do dia 15/9 a 18/9 pois nesse período ainda continuava no período de parentalidade. Acontece que decidi ligar para a SSD para confirmar o que pensara e eis que me informam que não, que tenho de pedir uma baixa médica inicial e começar de novo como se fosse uma nova situação!! Ora como me podem dizer isto?? Então agora vou perder 3 dias de pagamento e voltar a receber a 1ª percentagem quando estou nesta situação desde Junho e estava a receber mais percentagem???? Que coerência é esta? Então para gozar um direito sou penalizado noutro? Isto apenas me faz pensar em poupar trabalho aos vossos funcionários. São tão burocráticos e depois praticam estas incoerências que prejudicam a vida de uma pessoa que está em casa a recuperar de uma operação, com um bébé para criar e uma esposa desempregada! Quem se responsabiliza?! E têm o descaramento de responder "É assim que é, o Sr não tem alternativa".
Portanto eu solicito que analisem atentamente esta situação e vejam o quão penalizante é se tiver de pedir uma baixa médica inicial e que essa penalização além de injusta e de pôr em causa vários valores, também me prejudica a nível de rendimentos. Não compreendo que apoio social é este de hoje em dia.

Data de ocorrência: 20 de setembro 2016
Segurança Social
11 de outubro 2016
Caros senhores,
Já contactámos o cidadão que apresentou a reclamação n.º 5818616
Para garantirmos a sua privacidade, entrámos em contacto direto com o/a interessado/a.

Queremos prestar um atendimento de qualidade
Por isso, estamos a desenvolver as medidas necessárias para continuar a melhorar a qualidade do serviço que lhe prestamos.

Com os nossos cumprimentos,



Núcleo Gestão Cliente
Instituto da Segurança Social, I.P.
Este email serve apenas para enviar mensagens e não recebe respostas.

Linha Segurança Social - 300 502 502
Portal: www.seg-social.pt
Segurança Social Direta: https://www.seg-social.pt/consultas/ssdirecta
cátia solange pinho barreiros
cátia barreiros avaliou a marca
13 de outubro 2016

Esta reclamação foi considerada resolvida
Comentários
Esta reclamação ainda não tem qualquer comentário.