Performance da Marca
16.6
/100
Insatisfatório
Insatisfatório
Índice de Satisfação nos últimos 12 meses.
Taxa de Resposta
15,1%
Tempo Médio de Resposta
3,1%
Taxa de Solução
16,5%
Média das Avaliações
32,6%
Taxa de Retenção de Clientes
39,5%
Ranking na categoria
  • Canal não oficial da Segurança Social.
    Para um contacto direto use o portal Segurança Social Direta

  • 300 502 502
  • Rua Rosa Araújo, 43
    1250-194 Lisboa
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Segurança Social - Espero uma resposta de um pedido de ajuda social

Aguarda resposta
Maria Adelaide Caetano Silva
Maria Silva apresentou a reclamação
1 de dezembro 2022
É triste e lamentável estar há espera de ajuda social,por parte de assistentes sociais,que lamentavelmente,nos ignoram.
Eu sou uma pessoa com 61 anos,sempre trabalhei no meu País desde a Idade de 12 anos.Comecei a trabalhar em 1974, tenho as provas de todos os meus descontos.Trabalhei até ao ano de 2021 sempre na área da saúde.Por motivos graves de doenças patológicas que tenho que viver o resto da minha vida,e as quais me obrigam a ter que tomar medicação diária,eu tenho que viver com uma miséria de pensão de 500€ onde tenho que pagar 300€de casa para viver com alguma dignidade.Tirando este valor para a renda,que essa não pode falhar,e se falhar terei que viver talvez debaixo de uma ponte ,ou na rua como infelizmente muitos já vivem.Porque temos um País onde os governantes,e as assistentes sociais nos ignoram.Somos números ,ou carne para canhão.Eu foi vítima de violência doméstica durante 40 anos,vivi sofri e criei meus filhos com respeito e dignidade. Já com os meus filhos orientados para a vida,deixei a casa onde morei a vida toda.Pois sei se não o fizesse,hoje era mais uma das tantas vítimas que morreram desta forma bárbara.Sempre lutei sosinha,pois a família toda me abandonou,quando mais precisei.
Porque sofri calada,para poder estar viva,porque as facas e as ameaças eram constantes,desde a violação,porque o sr.era uma pessoa de bem na rua,e era a melhor pessoa,para as pessoas que não viam e não conheciam o outro lado da face.
Tudo superei como não sei,mas ao longo desta vida tão cruel,muitas doenças me foram aparecendo, depressão crônica, fibromialgia, artrite reumatóide, tensões altas,um cancro do colo do útero,ao qual tive que fazer uma cirurgia aos 31anos,mas sempre consegui com dignidade e respeito por mim própria lutei ,deixei tudo apenas vim vestida com a roupa que tinha vestida. Porque nós vítimas, somos apontadas e somos julgadas em praça pública,como doidas e tinha uma vida como ninguém e deixou o marido,isto é os julgamentos.
Mas vamos lutando e vencendo dia a dia,mas deixa mos de viver,aprende mos é a sobreviver .
Como já sitei atrás,estou reformada,e como sempre descontei na minha vida,para a segurança social,e para a caixa geral de aposentações, pensei eu que indo pedir ajuda há segurança social,e como me resta tão pouco para comprar , medicamentos,e para comer,pedindo ajuda talvez me ajuda se a viver com mais dignidade ,mas é triste sermos ignorados e dizem nos na cara as assistentes sociais, você não tem direito a nada, há pessoas pior que você.Nada tenho contra às pessoas que vêm de outros países,para aqui viver e têm tudo,acho que é um direito que todo o ser humano tem.Viver com dignidade,pois somos humanos.
Mas o que me trás aqui é que pedi ajuda , há assistente social da zona onde resido, Fernão Ferro,e até hoje me foi pedido há três semanas um comprovativo de uma farmácia,do valor da medição que eu compro mensalmente,e a qual já enviei para a Dra Sara assistente social da igreja de Fernão Ferro,e até ao dia de hoje 1-12-2022 me ignorou e se eu estivesse há espera dos medicamentos para tomar já tinha morrido,de comida perguntei lhe se não tinha direito a ajuda,nem me respondeu.Estou grata a uma amiga,que me tem ajudado,a dar me comida,e me tem emprestado dinheiro para comprar a medição,mas estou há espera de receber a minha pensão que recebo o subsídio e não chega para lhe pagar. Que País é este? Ninguém merece ser tratado desta forma,somos humanos, não somos de ferro, ninguém aguenta viver nesta tristeza ignorados por quem nos havia de ajudar,porque já trabalha nos tantos anos como eu que descontei 49 anos e 7meses para receber uma miséria.Por favor se há mais pessoas,nesta situação e somos milhares,falem contém para que tenha mos a sorte de haver alguém,mais humano que nos ajude.
Estou cansada de lutar,as forças começam a faltar,mas pelo menos deixo aqui o meu desagrado,com muita dor e tristeza,para que alguém nos ouça e ajude,se não for a mim,que seja a outros seres humanos que têm medo de se expor.
Eu desisto desta vida,porque estou cansada,desta falta de humanidade,por nós já fiz a minha parte para contribuição deste país.
Não há mais nada a fazer,a não ser desestir da vida.
Obrigado para quem leu está mensagem,mas lutem por quem nada tem,e nada pode fazer.
Maria Adelaide Caetano da Silva
Fernão Ferro
Contacto.914384152
Data de ocorrência: 1 de dezembro 2022
Maria Adelaide Caetano Silva
Maria Silva está a aguardar resposta da marca
Comentários

De que medicação precisa e de que bens alimentares lhe fazem mais falta? Muita força ❤️

29 de dezembro 2022

Minha querida a medição, já me foi comprada por uma pessoa anónimo,enviei a receita e compraram me a medição.A comida será,bem vinda nem que seja um pão.Grata do fundo do meu coração