Ranking na categoria
  • Canal não oficial da Segurança Social.
    Para um contacto direto use o portal Segurança Social Direta

  • 300 502 502
  • Rua Rosa Araújo, 43
    1250-194 Lisboa
Partilhar esta página
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Segurança Social - Falta de pagamento do subsídio de desemprego e dívida indevida como trabalhador independente

Sem resolução
55637921
120
Paula González apresentou a reclamação

Há quase 3 meses que estou à espera de uma resposta da Segurança Social em relação à falta de pagamento do subsídio e à cobrança indevida de contribuições como trabalhador independente.
Desde julho de 2020 fiquei desempregada e comecei a receber as prestações de desemprego. No mês de novembro decidi voltar para Espanha mas fazer a transferência das prestações pelo menos durante os três pirmeiros meses aos que tenho direito por lei. Fiz todos os trâmites necessários para isso e tudo foi entregue em Lisboa a 4 de dezembro por parte da instituição de desemprego em Espanha. Um mês depois recebi uma carta da Segurança Social na qual informavam que a partir da data da minha saída do país até o final do mês tinha de reembolsar o valor correspondente do subsídio de desemprego. Sendo que já tinha sido tramitado na Espanha para continuar com as prestações durante os primeiros 3 meses, não percebi o motivo dessa carta. O aviso na Segurança Social e no IEFP tinha sido feito, na Espanha tudo tramitado e recebido em Lisboa, e no site da Segurança Social direta indicado que continuavam a pagar desde 21/11/2020 até 19/02/2021 (relativo aos ditos 3 meses solicitados), mas no entanto parece que ficou suspenso...
Para além de pedir o reembolso desses dias e continuar a não receber o subsídio, aparece que tenho que pagar outro valor como trabalhadora independente (e aparece já com juros!). Como pode ser isto possível se tenho a actividade fechada desde 2013 e estou desempregada? Já aconteceu anteriormente não ter cruzado os dados e colocar que tinha uma dívida de 9000 euros (assunto que ficou resolvido). Agora outra vez voltamos ao mesmo sem ter a actividade aberta?
Afinal, tanto a notificação de reembolso da parte correspondente ao subsídio quando sai do pais, como o pago dessa tal contribuição, foram já pagas sem sequer ter obtido nenhuma resposta. Recebi umas 6 respostas automáticas aos vários emails enviados ao Centro Distrital (todas as demais instituições reencaminharam a mensagem para eles), e nunca mais ninguém respondeu nem deram informações sobre o assunto. Além disso, nem sequer posso solicitar a renovação do subsídio por mais 3 meses (que completam os tais 6 aos que tenho direito) porque continuam sem responder!!
Estou na Espanha e na situação atual não posso deslocarme a Lisboa. Acho inaceitável que o único meio possível para tratar disto seja um número de pago no qual não me dão solução nenhuma, são mau educados e falam para ligar a outros números nos que não sou atendida, continuando a situação sem nunca mais ser resolvida. Continuo sem receber o subsídio desde novembro e acho uma falta de consideração, e nas circunstâncias nas que estamos e ainda mais desempregada, andar a "jogar" com o sustento de uma pessoa. É uma extrema falta de consideração e atenção, despois de ter feito todos os trâmites necessários, não obter nenhuma resposta, inclusive depois de ter pago o que não deveria e não estar a receber o que por lei tenho direito.
07 abr 2021
A reclamação foi considerada "Sem Resolução" por falta de atividade
26 set 2021
Paula González avaliou a marca

1/10

Não

Voltaria a fazer negócio?

Falta de consideração e de uma simples resposta

Esta reclamação foi considerada sem resolução

Comentários (0)