Performance da Marca
Índice de Satisfação nos últimos 12 meses.
Taxa de Resposta
100%
Tempo Médio de Resposta
12,6%
Taxa de Solução
18,5%
Média das Avaliações
16,9%
Taxa de Retenção de Clientes
7,7%
Ranking na categoria
Universalgest - Administração de Imóveis Lda

Universalgest - Ilegalidades

Em tratamento
Sandra Almeida
Sandra Almeida apresentou a reclamação
9 de maio 2024 (editada a 9 de maio 2024)
Pratica de ilegalidades por parte da empresa. Na ata n. ° 3 de 21/11/2023 consta como movimento extraordinário,
o valor de €296,98 relativo a um doc. com o número 3968571 da Tranquilidade. De acordo com informação prestada, este montante é de um seguro multirriscos das partes comuns do edifício, efetuado pela antiga administração.
A antiga administração era "praticada" por 2 condóminos e terminou, em 10/09/2021. Coincidência ou não um deles trabalhava em seguros.
Nos anos seguintes não há qualquer referência a este seguro.
Tentaram, por várias vezes, antes da assembleia de condóminos, que eu pagasse o valor do seguro das partes comuns, correspondente à minha fração. A empresa apresentou várias versões, sobre o valor que tentava cobrar indevidamente.
Em 18/11/2023, fiz prova da minha apólice multirriscos e do pagamento da mesma. Em 29/04/2024, fizeram novamente o pedido da mesna coisa, o que me levou a concluir que ainda não cancelaram a apólice.
O problema relativo a água caida das varandas do 2° andar esq, alegadamente proveniente dos aparelhos do ar condicionado, o barulho dos mesmos e a usurpação de uma parte comum da garagem por um condomino e o seu inquilino mantêm-se por resolver.
Não há qualquer prova que tenham efetuado diligências com vista à sua resolução.
Pagaram despesas referentes  obras de duas fracções, o que será prática comum, visto que já terá acontecido o nesmo no prédio vizinho.
Não respondem a emails.
Nunca ficou explicito quem são os titulares da conta bancária, do fundo de reserva do condomínio.
Data de ocorrência: 8 de maio 2024
Universalgest
15 de maio 2024
Ex.ma Sra. Condómina,
Nenhuma ilegalidade foi cometida. A apólice a que alude, contratada pelo condomínio em apreço com a Tranquilidade, antecede o início de funções desta administração. Na assembleia-geral realizada em 21/11/2023 foi explicado aos condóminos que até 31/08/2023 o prémio respetivo foi pago através das disponibilidades financeiras do condomínio, o que de resto expressamente consta da ata respetiva, assim como da realizada em 27/10/2022 em que a reclamante também participou. O prémio da renovação para o período de 01/09/2023 a 31/08/2024 foi emitido a pagamento a todos os condóminos, que, exceto a reclamante, o pagaram. E foi deliberado na assembleia de 21/11/2023 que todos os condóminos deverão fazer prova da titularidade de apólice individual (CFR artigo 1429.º CC), para o consequente cancelamento dessa apólice coletiva, a ocorrer no respetivo vencimento.
Aviso/recibo da apólice disponível para consulta na aplicação informática.
Por se tratar de uma apólice de partes comuns, a mesma integrará todas as frações, sem exceção ou possibilidade de exclusão de frações.
As demais situações encontram-se em resolução, designadamente:
- a relativa a queda de águas encontra-se com abordagem ao proprietário do equipamento para reparação, dado que não se trata de qualquer zona comum, mas antes privada, assim como a responsabilidade pelos danos ocorridos;
- nas demais situações houve interpelações ao proprietário da fração que usa zonas comuns, para que cesse essa utilização, tendo sido dado conhecimento à reclamante dos envios mediante CTT registado c/ AR;
Nenhuma obra foi realizada pela administração do condomínio em frações autónomas.
Há respostas a e-mails pelo menos desde Agosto de 2023.
A conta bancária é titulada pelo condomínio, de que é sua representante a administração do mesmo.
Sandra Almeida
4 de junho 2024
De acordo com a vossa lamentável resposta, o prémio do seguro multirriscos partes comuns foi paga, em 2022  "...através das disponibilidades financeiras do condomínio...".


O que são disponibilidades financeiras do condomínio?! Utilizam o fundo de reserva do condomínio indevidamente? 


Mencionam ainda que"... O prémio da renovação para o período de 01/09/2023 a 31/08/2024 foi emitido a pagamento a todos os condóminos, que, exceto a reclamante, o pagaram..." .


O que mencionam não consta na prestação de contas referentes ao período de 01/10/2022 a 17/11/2023.

Na qual, nem o valor de quotas em dívida discriminam.


Relativamente a  obras em frações, só como exemplo, na mesma prestação de contas, consta a rubrica seguinte:

Desuntupir casa de banho 2° Esq. €18,45 . 


Já deveriam ter pedido o cancelamento do seguro com efeitos à data fim da anuidade. Qual a justificação para num espaço tão curto de tempo me pedirem por duas vezes comprovativo do meu seguro?


Efetuei  o pagamento da quota em 08/05/2024, em15/05/2024 recebo SMS a pedir pagamento. Sete dias depois?! Não existe nessa empresa, um procedimento automático, de não pagamento? Ou fazem de propósito para fazer perder tempo aos clientes e irrita-los? 


Sobre a ocupação de zonas comuns, o inquilino do 1° direito até colou um cartaz, a informar que aquela zona é do apartamento no qual habita e agora faz dessa zona comum um depósito de tralhas. Trata-se de mesmo de usarpar o que não é da fração, pelo que administração do condomínio tem que atuar.

Solicito que comprovem que Universalgest é a única titular da conta bancária, do fundo de reserva deste condomínio através de documento da entidade bancária.
Universalgest
7 de junho 2024
Ex.ma Sra. Condómina:
- nenhuma obra realizada em frações autónomas, mas apenas um desentupimento que estava relacionado com a derivação para o coletor comum;
- trata-se de uma apólice de seguro apenas de partes comuns, tornando-se imperativo dar cumprimento à necessidade de prova de seguro nos termos do artigo 1429.º do Código Civil, de modo a garantir que as frações autónomas têm apólice de seguro contratada, sendo que no demais e sobre este assunto já foram dados os respetivos esclarecimentos.
- é uma conta bancária titulada pelo condomínio, de quem a administração é o respetivo representante e não o titular dessa conta.
Sandra Almeida
7 de junho 2024
A vossa empresa não responde às questões que são colocass. Enviam um texto para tentar encerrar o assunto Vocês são péssimos na gestão de condóminos.
Quem é ou são o(s) titular(es) da conta bancária, do fundo de reserva do condomínio, a qual vocês deram a entender que eram os titulares? Quem os elegeu para tal?
Como vão resolver a questão do espaço comum? Enfim sem qualquer esperança que façam alguma coisa.
Sandra Almeida
Sandra Almeida está a aguardar resolução da marca
Comentários
Esta reclamação ainda não tem qualquer comentário.