Yamaha Motor Europe N.V.
Yamaha Motor Europe N.V.
Performance da Marca
13.2
/100
Insatisfatório
Insatisfatório
Índice de Satisfação nos últimos 12 meses.
Taxa de Resposta
20%
Tempo Médio de Resposta
6,7%
Taxa de Solução
13,3%
Média das Avaliações
23,3%
Taxa de Retenção de Clientes
0%
Ranking na categoria
Venda de Motos e Acessórios
2 FC-Moto GmbH 56.8
3 Santomar 53.5
...
Yamaha Motor Europe N.V.13.2
Yamaha Motor Europe N.V. - Sucursal Em Portugal
  • 214722100
    Chamada para a rede fixa nacional
  • Rua Cidade de Córdova, 1
    2610-038 Alfragide
  • yamaha@yamaha-motor.pt

Yamaha Motor Europe N.V. - Recusa em esclarecer parcelarmente o valor cobrado de "despesas de legalização".

Sem resolução
1/10
António Trindade
António Trindade apresentou a reclamação
21 de junho 2018

Dirigi-me a um stand da Yamaha (MOTOR7) para adquirir uma moto. O preço anunciado na página da internet do representante é (em promoção) 2,995*, o asterisco não indica o valor adicional a cobrar. Esse valor só o obtive no concessionário MOTOR7, e que são mais 375€, a acrescer ao valor promocional. "Despesas de legalização".
Pedi esclarecimento ao representante em portugal que me enviou a seguinte tabela:

Transporte, 24,50 €. (não sei porque é que este valor tem de ser imputado ao comprador?)
Ecovalor, 1,60 €
ISV, 82,04 €
IUC, 5,64 €.
Despesas de legalização, 272,50 €.

Destes valores, os que são devidos ao pagamento de taxas parecem-me correctos, no entanto, e apesar de pedir o esclarecimento sobre os valores da parcela "despesas de legalização", não obtive resposta, depreendo que sejam valores para emissão de matrícula na Alfândega (cujo o valor não sei, nem me foi informado) e o preenchimento do Modelo 9 do IMTT (45€) cujo valor me foi confirmado e comunicado pelo IMTT.
Considero legítimo obter informação sobre estes valores, assim como acho que tenho o direito a realizar eu mesmo este serviço de legalização na Alfândega e no IMTT; a representante Yamaha Motor Europe, N.V. (Sucursal em Portugal Rua Cidade de Córdova, 1, 2610-038 Alfragide Tel: 214 722 100) através de um dos seus concessionários não me vende a moto nestas condições e quer ser ela a prestar o serviço de legalização, não me dando a possibilidade de ser eu a fazer esse serviço.

Esta reclamação tem um anexo privado
Data de ocorrência: 21 de junho 2018
Yamaha Motor Europe N.V.
1 de agosto 2018
ver anexo
Esta resposta tem um anexo privado
António Trindade
1 de agosto 2018
A Yamaha motors Europe NV, responde parcialmente à reclamação.
1 — Nunca sugeri a venda do veículo sem a documentação. Somente sugeri ser eu a fazê-lo junto das entidades competentes, assim poderia poupar, pelo menos 150 euros.
2 — Recusou-se a fornecer-me os valores parciais do processo de legalização; só o fez após a minha reclamação, e depois de um email muito desagradável de um responsável na empresa.
3 — Está a cobrar por um serviço que é fornecido pelo Estado a um preço inferior ao cobrado pelo concessionário e que pode ser feito pelo cidadão.
4 — É frequente cobrar por "despesas de alfândega" produtos fabricados na EU, foi me dado esse valor. Porém a mota é fabricada em Espanha.
5 — As "despesas de legalização" são opacas e carecem de fiscalização das entidades competentes.
António Trindade
9 de novembro 2020
É notório que os vendedores de motos continuam a imputar despesas aos compradores que deveriam ser da responsabilidade do vendedor.
Além do mais, não compreendo porque é que não pode ser o comprador a fazer registo da moto ou dos automóveis, principalmente quando os concessionários lucram fazendo este serviço. O serviço de legalização de veículos pode ser feito pelo comprador, não pode ser o concessionário a obrigar o comprador a aceitar este serviço.
António Trindade
António Trindade avaliou a marca
3 de setembro 2021

As marcas de venda de motos e automóveis têm serviços opacos e lucram com serviços que o cidadão pode fazer por conta própria. Não há transparência nos procedimentos e nas taxas praticadas, assumem que as pessoas pagam tudo sem escrutínio. É um negócio que deve ser escrutinado pelo Estado para que não hajam abusos para o consumidor. Fazerem cobrança de alfândega de produtos construídos em Espanha revela bem como este negócio opera.

Esta reclamação foi considerada sem resolução
Comentários
Esta reclamação ainda não tem qualquer comentário.