Comércio | Lojas Shop

MEO - Abuso com a lei da prioridade na venda de bilhetes U2


Aguarda resposta
16335018

Boa tarde, venho por este meio pedir esclarecimento:
Na vossa página consta está info quanto ao atendimento prioritário onde evocam o decreto de lei 58/2016:
2 - Excluem-se do âmbito de aplicação do presente decreto-lei:

a) As entidades prestadoras de cuidados de saúde quando, atendendo à natureza dos serviços prestados designadamente, por estar em causa o direito à proteção da saúde e do acesso à prestação de cuidados de saúde, a ordem do atendimento deva ser fixada em função da avaliação clínica a realizar, impondo-se a obediência a critérios distintos dos previstos no presente decreto-lei;

b) As conservatórias ou outras entidades de registo, quando a alteração da ordem de atendimento coloque em causa a atribuição de um direito subjetivo ou posição de vantagem decorrente da prioridade do registo.

3 - O disposto no presente decreto-lei não se aplica às situações de atendimento presencial ao público realizado através de serviços de marcação prévia."

Existindo distribuição de senhas, ou seja “marcação prévia”, existindo uma lista onde consta o número de senha e respectivo nome a quem pertence, porque razão no respectivo dia, precisamente 5min antes da abertura da loja e consequente venda dos bilhetes, com toda a gente a aguardar ordeiramente, deixam que se aplique a lei da prioridade é deixam passar um idoso com mobilidade reduzida e uma grávida de 2 meses? E mais, porque razão essas pessoas levam 4 bilhetes se tiveram de lá ir sozinhas?
Isto passou-se em Aveiro, ontem dia 26 de Janeiro.

Aguardo resposta e espero sinceramente que revejam as vossas políticas porque cidadania é um conceito bem diferente de oportunismo!

Comentários


Paulo Camarneiro

Estive na loja meo em Aveiro para comprar bilhete para os U2 desde quinta feira (25/01)às 16:30. Houve pessoas que estiveram desde Terça feira.

Confirmo que, para espanto de todos, por vota das 10:00, apareceu um velhote com muleta e com incapacidade que a policia, os seguranças do shopping e os funcionários da Meo passaram à frente. o mesmo se sucedeu com uma grávida. Até respeito que os tivessem passado à frente, mas agora não aceito que lhes tivessem vendido 4 bilhetes a cada. Havia uma fila organizada. Eles só vão usar um bilhete cada, mas o mais certo é não usarem... A nº 2 da fila era uma rapariga em cadeira de rodas e esteve lá quase 4 dias.

Por causa disto eu fui a primeira pessoa da fila a ficar sem bilhetes.



Denise Machado

Paulo, eu não discordo da lei da prioridade, aliás, até acho que caso fossemos todos "racionais" não era necessária uma lei destas. Mas neste caso foi absoluto oportunismo.




Comentar

Apenas utilizadores registados podem fazer comentários.

Inicie sessão e regresse novamente a esta página para comentar.