Empresas e Serviços

CTT - Encomendas desaparecem misteriosamente


Em tratamento
20100718

Sem me querer alongar muito, acho inadmissível e o que se está a passar actualmente com os CTT, as encomendas dos últimos meses desaparecem e algumas estão em recepção internacional há cerca de 1 mês. Deveriam ser investigados urgentemente, para se tirar as devidas conclusões. Como é que uma empresa que presta um serviço postal do terceiro mundo tem um Banco? Sou obrigado a confiar as minhas encomendas a esta pseudo - empresa, mas jamais irei confiar o meu dinheiro, não vá ele desaparecer.

Respostas

CTT em 2018-07-05 09:44 Exmo. Senhor
Tiago Almeida

Gostaríamos de agradecer o seu contacto, que mereceu a nossa melhor atenção.

Lamentamos, desde já, a situação ocorrida.

Para procedermos ao tratamento desta situação, e respetivas averiguações, pedimos que nos envie, por favor, as seguintes informações:

Assunto Portal da Queixa: CTT - Encomendas desaparecem misteriosamente
Reclamação Portal da Queixa nº 20100718
E-mail do reclamante:
Nome e morada completa do destinatário:
Nº do Objeto (2 letras, 9 algarismos, 2 letras) :

Apenas com estes dados poderemos efetuar mais averiguações e disponibilizar-lhe uma resposta conclusiva.

Pedimos, assim, o envio da informação solicitada para: reclamacoes@ctt.pt.

Gratos pela sua melhor compreensão, reiteramos o nosso pedido de desculpa e apresentamos-lhe os nossos melhores cumprimentos.

David Alves
Serviço de Atendimento ao Cliente
Tiago Miguel Marques Almeida em 2018-07-05 10:07 Infelizmente é uma perca de tempo, por experiências anteriores. Já dei informações em casos semelhantes e ainda hoje estou à espera dos artigos que simplesmente desapareceram . Tudo é uma perda de tempo com os CTT. Enquanto não houver alternativas fidedignas teremos que vos suportar. É assim o Portugal dos pequeninos!

Comentários


António Mirra

Depois ainda falam mal das empresas do estado/funcionários públicos. Assim está melhor...quem diz os CTT, diz outras (água, transportes, saúde, etc...... Venham mais privatizações.



Sadi Santos

Esqueça amigo. Desde que foram privatizados os CTT são um nojo. A mim aconteceu me pior. Devia receber um registo que nunca chegou. Reclamei e eles disseram que foi entregue e assinado. Conclusão: o carteiro falsificou a assinatura, ficou com a minha encomenda e os CTT não assumem nada..... É aasim, para os CTT os clientes são um monte de esterco



Miguel Silva

Concordo plenamente com os comentários anteriores, os CTT devem ser das piores empresas em Portugal, tive de mudar o envio por carta das contas da água, luz, tv por cabo, para a receção por email, fartei-me de telefonar para as diversas entidades vários meses, para me dizerem os dados de pagamento, porque as cartas nunca chegavam. Com as encomendas são a mesma história, entre meados de janeiro a fim de fevereiro e no mês de julho, é para esquecer, é preciso andar a pedir reembolsos ao vendedor. A última queixa que fiz ao Portal da queixa, os CTT pediam o número das encomendas, como resposta diziam que em Portugal não havia encomenda nenhuma com o meu nome; quando ameacei que ia dirigir-me ao Balcão dos CTT pedir o Livro de Reclamações, depois ia à Defesa do Consumidor e iria escrever tudo nas redes sociais, por MILAGRE no outro dia de manhã, já tinha quatro encomendas em casa e no outro dia mais três... e vivo na Madeira, nem sequer é na casa ao lado do armazém principal dos CCT em Portugal.



Adelino Medeiros

Deixei de fazer encomendas fora da UE pois elas simplesmente não chegam. Nem as minhas nem de outras pessoas com quem falo. Será os CTT, será das transportadoras internacionais? Isso antes não acontecia e agora não me chega nenhuma! Já começo a desconfiar mesmo dos CTT.



isabel carrico

muitas encomendas minhas tem simplesmente desaparecido mesmo aquelas que vem em registado chega a um certo ponto nao da mais para fazer rastreio e por ironia nunca da entregue seja onde for chego a pensar que a alguém no trajecto que se encanta pelas encomendas e leva para casa



Moisés Milionário

É pôr estes meninos no fogo! Temos tantas entidades para montes de tretas dos consumidores mas nenhuma faz nada... Mesmo com tantos casos parece que não se interessam... E o pior é que ver tantas situações não resolvidas desencoraja as pessoas a escreverem no livro de reclamações... Pois tudo continuará na mesma...



Maria Manuela Silva

É mesmo uma total perda de tempo! Reconheço a mensagem formatada que deve ser a mesma que enviam para todos os clientes que reclamam. Enviei 2 encomendas com objetos pessoais nas férias do Verão de 2017 para a minha morada em Portugal e nunca as recebi apesar dos vários contactos logo que as encomendas cá chegaram. Após 5 meses com dezenas de emails e telefonemas para a linha de apoio ao cliente, nem queria acreditar quando fui informada, sem qualquer explicação, que as 2 encomendas tinham sido devolvidas ao remetente (eu própria!) Após reclamação, recebi uma carta formatada a lamentar o sucedido e informando que apenas o remetente no país de origem podia fazer um pedido de indemnização. Enfim, perdi totalmente a confiança nos CTT para encomendas fora da UE.



Teresa Carla Nobre Ferreira da Cunha

Organizando isto por partes...
Há várias décadas que uso os correios tanto para a vida pessoal como na vida profissional (que em termos de uso do correio é várias vezes superior à pessoal) e até hoje não houve uma carta, postal ou encomenda que não tivesse chegado até mim ou que não tivesse chegado a quem foi enviada por mim. E como eu, há muitas pessoas com a mesma experiência.
Um aspecto muito importante, e frequentemente esquecido pelos utentes dos serviços de correio, eu cumpro escrupulosamente as normas de envio. Tudo vai devidamente acomodado, pesos, volumetria, etc., são sempre respeitados; as embalagens vão bem fechadas e os dados de remetente e destinatário são preenchidos com todos os detalhes e em letra perfeitamente legível. Nos casos em que é necessário, os conteúdos também são descritos ao pormenor.
CTT Expresso: uso frequentemente, o nacional e internacional, sempre com sucesso (entregas na data e hora previstas, embalagens em ordem, avisos pelo telemóvel, tracking disponível).
A minha actividade profissional obriga-me à recepção e envio de muitas encomendas de e para o estrangeiro, sempre sem problemas. No entanto, como em tudo, é preciso saber as normas, de e para fora da Europa tudo passa pela alfândega, o tempo que passa lá depende do remetente. Eu só envio "amostras" e "prendas" e nunca coloco valores na encomenda. Num ou outro caso em que é obrigatório o preenchimento do campo "valor" ponho um valor simbólico, abaixo do que obriga ao pagamento de taxas por parte do destinatário (essa lista de valores está disponível online). E embora envie sempre uma guia de transportes, as facturas são enviadas pelo correio.
Este conjunto de medidas muito simples fazem com que as coisas não fiquem retidas em lado nenhum.
Agora, um aviso para quem faz compras fora da União Europeia, vai tudo para a Alfândega, não por vontade dos CTT, não tutelam as importações, mas gerido pelos CTT. Não compensa, de todo, fazer pequenas compras fora e, em muitos casos, os mesmos sites têm versões europeias (eu uso as versões americanas quando quero entregas feitas nos Estados Unidos; as versões europeias para entregas na Europa; os meus amigos americanos, se me querem oferecer uma prenda, compram em sites europeus). Mesmo para países europeus, mas fora da UE, a ida à alfândega é inevitável, por isso o meu conselho é que paguem mais 2 ou 3 euros de portes e tenham os serviços rápidos, nesse caso não usam os correios nacionais mas transportadoras. Finalmente, se ficarem com coisas na Alfândega, já me aconteceu, leiam bem os emails e cartas que vos enviam, podem parecer os mesmos, mas são diferentes. E também pode acontecer receberem uma segunda via quando os artigos já estão a caminho. Até hoje retirei tudo com facilidade, é só seguir as indicações e ter a documentação necessária ou então fazerem a declaração de honra (que até me pareceu ter sido mais rápido).
Mas deixo um alerta final para alguns sites de alguns países, na verdade não enviam coisa alguma e colocam as culpas pela falta de entrega nas transportadoras. Noutros casos em letras muito miudinhas colocam em algum lado onde ninguém se lembra de procurar, que podem não conseguir fazer entrar determinado produto em determinado país. Aliás, há também, online, listas dos artigos que podem circular de uns países para outros e o que é considerado contrabando. Se se informarem primeiro, evitam muitas chatices.
Espero que tenha ajudado.



Ricardo Silva

Depois de passar por uma situação deste tipo, acabo por verificar aqui que como eu há dezenas de outros casos.
De várias encomendas que tenho feito, a que desapareceu tão misteriosamente é a mais valiosa.
Parece-me que este tipo de situações se estão a tornar num caso de polícia.
Uma queixa isolada não terá qualquer consequências, mas se dezenas de pessoas o fizerem o impacto poderá ser outro.




Comentar

Apenas utilizadores registados podem fazer comentários.

Inicie sessão e regresse novamente a esta página para comentar.