Banco de Portugal alerta: há quem esteja a utilizar indevidamente o nome e o número de telefone da entidade

O spoofing e o phishing continuam em força em Portugal. Agora, é o próprio Banco de Portugal que lança o alerta para supostos telefonemas falsos em nome da entidade.  Atenção a isto!

O Banco de Portugal emitiu recentemente um alerta sobre supostas chamadas falsas em nome da entidade. Os burlões fazem-se passar por colaboradores do Banco de Portugal, levando os consumidores a partilharem dados pessoais e a serem burlados.

Estes contactos acontecem através do suposto número geral do Banco de Portugal (213 130 000), no entanto, este representa um número falsificado via spoofing.

Neste seguimento, o Banco de Portugal relembra que não presta serviços bancários comerciais a particulares ou empresas, por isso, estas chamadas com supostos pedidos de dados pessoais nunca poderiam partir da entidade.

Assim, aconselha os consumidores a não enviarem dinheiro ou fornecerem dados pessoais, informação bancária ou relativa a cartões de crédito. Além disso, recomenda não instalarem qualquer tipo de aplicação em dispositivos móveis ou em computadores pessoais a pedido de quem declare ser representante do Banco de Portugal.

Refere ainda que, todos os lesados que identifiquem ou recebam contactos duvidosos que se refiram ao Banco de Portugal, ou que alegadamente sejam da sua proveniência, devem informar imediatamente as autoridades policiais e contactar o Banco de Portugal, por e-mail para info@bportugal.pt ou por telefone, através do 213 130 000.

 

Casos de spoofing no Portal da Queixa

Os casos de spoofing e phishing são conhecidos em Portugal e são várias as entidades que já foram visadas neste tipo de cibercrime, como forma de burlar os consumidores. No caso do “spoofing”, o hacker faz-se normalmente passar por um funcionário de uma entidade bancária, criando sempre uma situação de falso perigo – normalmente, alega que os teus dados estão desprotegidos e que é necessário proteger a sua conta. Com isso, pede a facultação de códigos e dados pessoais, que na verdade são usados para retirada de dinheiro, pagamentos e transferências bancárias.

No Portal da Queixa, os consumidores queixam-se:

…recebi uma ligação proveniente do número oficial da Moey, identificado como 210521500, na qual fui informado(a) de que a minha conta havia sido alvo de uma tentativa de acesso na localidade de Covilhã.
O(a) indivíduo que me contatou apresentou-se como um(a) técnico(a) pertencente ao departamento de cibersegurança da Moey, solicitando que eu confirmasse a minha identidade a fim de realizar um reset das credenciais da minha conta. Durante a chamada, foi solicitado que eu informasse o código temporário enviado por SMS para o meu telemóvel, como forma de confirmarem a minha identidade.” –
Ricardo Cruz

“Fui contactada ontem através do WhatsApp por alguém que se fez passar por minha filha a pedir transferência bancária com o no de identidade, referência e montante. Como pensei tratar-se realmente da minha filha, pela foto e nome, o perfil dela está igual no Whatssap, acreditei que fosse ela e fiz uma transferência bancária no valor de 990€. A identidade tem o no 21800 e está em nome de MediaMedics BV.” Maria Barata

 

Chamadas do banco falsas: o que fazer

O alerta dado pelo Banco de Portugal é claro. Sempre que receberes uma suposta chamada do teu banco, não partilhes dados pessoais. O teu banco nunca pedirá esse tipo de informação por telefone, muito menos códigos secretos ou outro tipo de informação pessoal.

Em vez disso, denuncia a situação no Portal da Queixa e contacta o teu banco para alertar sobre o sucedido. É muito importante saber identificar este tipo de burlas. Investe na literacia digital e protege-te do cibercrime.


Comentários(0)

Mais soluções.

Em cada email.Todas as semanas no teu email as notícias, dicas e alertas que te irão ajudar a encontrar mais soluções para o que necessitas.