Serviços Públicos: Mais de 8.000 queixas entre março e setembro

A pandemia está a complicar a vida dos portugueses no que diz respeito ao acesso aos serviços públicos. Em seis meses - entre 18 de março e 18 de setembro de 2020 -, foram registadas no Portal da Queixa 8.033 reclamações, um aumento de 47% face ao período homólogo, onde se verificaram apenas 5.450 queixas.

Serviços Públicos: Mais de 8.000 queixas entre março e setembro
Partilhe

A dificuldade de agendamento do atendimento presencial é o principal motivo reportado pelos cidadãos através da maior rede social de consumidores e marcas de Portugal. Para além dos problemas de marcação, as falhas no serviço prestado e a falta de resposta são outros problemas que resultaram em reclamação.

No topo da tabela dos organismos públicos, cujo crescimento do número das reclamações foi mais expressivo, comparativamente com 2019, está o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Segurança Social.

Entre estes, sobressai o IHRU com um aumento de 280% das queixas, consequência   das medidas excecionais de apoio anunciadas às famílias. Os motivos das reclamações relacionam-se com o processo de apoio às rendas e pelo facto de verem indeferido esse pedido.

Há também queixas que apontam para a dificuldade em estabelecer contacto com o organismo público, com relata a consumidora Ângela Rodrigues:

Por várias vezes tentei entrar em contacto com o IHRU através dos contactos que são disponibilizados na página deles na Internet, quer por email quer via telefónica e não consigo obter resultados. Isto já se arrasta por mais de uma semana e trata-se de um assunto urgente onde preciso de agendar um atendimento presencial e não consigo sequer que me atendam o telefone para marcar esse mesmo atendimento presencial. É inadmissível pois chama, chama e ninguém atende ou percebe-se que atendem e desligam o telefone. Agora digam-me como consigo eu um atendimento presencial se não me atendem sequer o telefone?

 

Por outro lado, destaca-se também que, no período em análise e comparativamente com 2019, duas entidades públicas registaram um decréscimo do número de reclamações: o Centro Nacional de Pensões e a Autoridade Tributária e Aduaneira (ambas com uma redução de 22%).

 

2019

2020

%

SERVIÇOS PÚBLICOS

5450

8033

47%

 

IHRU

20

76

280%

IEFP

72

111

54%

Segurança Social

878

1341

53%

IMT

711

985

39%

IRN

228

264

16%

SEF

453

517

14%

Centro Nacional de Pensões

528

411

-22%

Autoridade Tributária e Aduaneira

270

210

-22%

[Período de análise entre 18/03 e 18/09]

 

A análise do Portal da Queixa permitiu concluir que, devido as novas regras impostas pela pandemia de Covid-19, os serviços públicos estão mais lentos e menos eficazes, criando constrangimentos na vida dos cidadãos. 

Recorde-se que, desde Março, os serviços públicos passaram a atender por via electrónica. Nos casos em que tal não seja viável, será por pré-marcação online. O pré-agendamento deverá ser feito pelo Portal “ePortugal” e pelas linhas que prestam apoio aos serviços públicos digitais (Linha do Cidadão 300 003 990 e Linha das Empresas 300 003 980).

 


Comentários