Turismo: quase 2.500 queixas dirigidas ao setor até junho | Portal da Queixa

No primeiro semestre do ano, o Portal da Queixa recebeu quase 2.500 reclamações relacionadas com o setor do Turismo, um aumento de 15% em relação ao período homólogo.

Reclamações no Setor do Turismo Aumentam

No primeiro semestre do ano, o Portal da Queixa recebeu quase 2.500 reclamações relacionadas com o setor do Turismo, um aumento de 15% em relação ao período homólogo. Problemas com o reembolso de reservas e com a utilização de vouchers, são os principais motivos apresentados pelos consumidores. A eDreams, a TAP e a Ryanair estão no TOP 3 das entidades mais visadas. Os Hotéis e os Aeroportos foram as subcategorias com maior crescimento de reclamações face a 2021.

O número de reclamações dirigidas ao setor do Turismo está a aumentar.

Segundo apurou a análise do Portal da Queixa ao primeiro semestre de 2022, os consumidores portugueses registaram 2.459 reclamações na plataforma, um crescimento de 15% em comparação com o mesmo período de 2021, onde se registaram 2.136 queixas.

No ranking das entidades com o maior volume de reclamações figuram as seguintes marcas: eDreams com 24% das reclamações face ao total; segue-se a TAP com 16%; a Ryanair com 7%; o Booking a somar 4%; com a mesma percentagem de 4% cada um, o Rumbo e a Easyjet; e com a mesma fatia de 2% está a ANA Aeroportos de Portugal, a Logitravel, a Vueling e a Tripmonster.

Por subcategorias do setor, verifica-se que o maior número de reclamações registado este ano é dirigido aos Sites de Reservas de Viagens (38%) e às Companhias Aéreas com 37% das queixas. As Agências de Viagens recolhem 8%; os Sites de Reservas de Alojamento (7%) e os Aeroportos ocupam uma fatia de 3% no total de queixas apurado até junho. Segundo os dados aferidos, os Hotéis e os Aeroportos foram as subcategorias com maior variação de crescimento face ao período homólogo, 142% e 121%, respetivamente.

Quais os principais motivos de reclamação?

Os principais motivos de reclamação estão relacionados com o reembolso de reservas e utilização de vouchers, a gerar 37% das queixas recebidas contra o setor no primeiro semestre. Problemas com a alteração, confirmação ou cancelamento de reservas (23%); pagamentos e faturação (15%); problemas com bagagens (10%) e questões relacionadas com Atendimento/Apoio ao cliente, foram queixas reportadas por 8% dos consumidores.

A destacar - no que se refere às entidades com maior variação de crescimento de reclamações - a ANA Aeroportos de Portugal com mais 100% do que em 2021; a Logitravel com 91%; o Booking com 88% e a Tripmonster com mais 77% e a Easyjet com uma subida de 72%. O Rumbo foi a única entidade que registou uma descida das queixas absorvidas em 2022, com -58% em relação ao ano passado.

E porque o mês mais concorrido de férias está a chegar, e perante os vários fatores que podem ameaçar as férias, o Portal da Queixa apresenta algumas recomendações para ajudar a solucionar possíveis problemas e alerta para os direitos dos consumidores. Férias à Porta? O Portal da Queixa dá-lhe umas dicas!

© NOTÍCIA | Press-Release


Comentários(0)