Ranking na categoria
Partilhar esta página
Borja On Stocks
Borja On Stocks respondeu à reclamação de Nuno Figueiroa
há 1 ano
Sem resolução
Nova resposta
Borja On Stocks

Borja On Stocks - Falta de educação, mau atendimento

No passado dia 2 de abril de 2020, esta foi a resposta enviada, via Livro de Reclamações, à mesma reclamação aqui submetida:

"Relativamente à reclamação recebida, somos a responder o seguinte:

1. "Quando me estava a escrever no site desta empresa..." a informação prestada não é precisa uma vez que o Exmo. Sr. Nuno Manuel Sarmento Abranches Figueiroa Rego não estava a escrever no site da empresa, mas sim num grupo de Facebook gerido pela mesma.

2. A publicação que foi eliminada e que levou à não permissão de escrita do referido utilizador no Grupo não cumpria as regras comunicadas a todos os subscritores via email no passado dia 07/10/2019 e que, aparentemente, o referido membro desconhecia. Para além do facto que a mesma se tratava de publicidade encapotada que procurava induzir os clientes do nosso serviço a procurarem alternativas junto doSr.Nuno Manuel Sarmento Abranches Figueiroa Rego.

3. O acesso ao serviço foi mantido até ao momento que o cliente solicitou, de forma escrita através da página de Facebook, o cancelamento do mesmo.

4. A expressão coloquial que foi utilizada, é um registo que sempre foi utilizado pela nossa empresa em comunicações com os clientes e que, durante os quase 3 anos em que o Sr.Nuno Manuel Sarmento Abranches Figueiroa Rego foi cliente, nunca deu origem a qualquer queixa ou incómodo sobre o esse mesmo tom. Não entendemos que a expressão em causa seja de alguma forma insultuosa.

5. A nossa empresa não pratica qualquer tipo de discriminação, nem sequer tem dados sobre os clientes que lhe dêem acesso a este tipo de informação pessoal sobre o cliente, sendo que os únicos dados que recolhemos dos nossos clientes são o nome e email.

6. Nos quase 3 anos de cliente as únicas intervenções na comunidade do Sr.Nuno Manuel Sarmento Abranches Figueiroa Rego foram em momentos de grande crise, como o que vivemos atualmente com o Covid-19, sempre em horas de não expediente e procurando sempre descredibilizar e retirar proveitos próprios com as mesmas. "

Carregar mais