Ranking na categoria
  • 213556625
  • R Barata Salgueiro 31 e 31 - A
    1200- Lisboa
Partilhar esta página
Esta é a sua empresa? Clique aqui

Cafetaria Picasso - Desagrado pela forma como fui atendido!

Resolvida
01209
7421
zahirp apresentou a reclamação

Boa noite.


Venho mostrar o meu enorme desagrado pela forma como fui atendido na entidade visada.


Hoje,às 13:20h,eu e mais dois colegas,fomos a este estabelecimento com o intuito de tomarmos café. Aguardamos 15 minutos(13:35),por vaga de mesa,das 12 existentes na esplanada que,desconheço até que ponto estará legal.


Após nos sentarmos,foi-nos entregue uma ementa para procedermos a uma escolha de refeição,concluindo desde logo,que apenas seriamos atendidos caso fosse para almoçar. O empregado de esplanada,não identificado,assim que ouviu o meu pedido,respondeu logo prontamente e com um tom agressivo:"Ah é para cafés?Têm que esperar";sem me dar hipótese sequer de eu responder,dirigindo-se de imediato a outras mesas.


Após passar por nós,de novo me dirigi ao mesmo sem ele parar e respondendo de novo e com mais agressividade:"Já disse que têm que esperar". Às 13:50,quinze minutos depois de estarmos sentados,de novo o interpelei e de novo recebemos uma resposta agressiva:"Ainda não perceberam?Têm que esperar.Não sabem ler o que está afixado na parede?"[Mesas reservadas para almoços e refeições ligeiras(sopas,sandes,salgados ou pratos)12h30 as15h30].


Sentindo uma grande injustiça e muito envergonhado,pois o funcionário fazia questão que todos os presentes ouvissem o que nos transmitia,entrei no estabelecimento e dirigi-me ao mesmo que se encontrava ao balcão,a efectuar pedidos para as mesas e de costas voltadas para mim,ignorando-me por completo,tendo eu falado mais alto com ele o que despertou a atenção do seu chefe que também não estava identificado e que se dirigiu a mim,tendo eu finalmente conseguido ter um diálogo. Contestei o facto de já estar sentado na esplanada à 15 minutos à espera de ser atendido,do funcionário,sempre em tom agressivo,me negar o pedido,da legalidade daquele papelinho,da deferensiação de clientes e exigindo de imediato sermos atendidos mostrando muito desagrado por tudo o que estava a acontecer.


Dum momento para outro,o referido chefe mostrando muito medo que eu posteriormente ainda visse a reclamar,passamos a ser os clientes mais importantes naquele estabelecimento tendo sido de imediato atendidos,(atendidos não;atendido,porque os meus colegas,de tão irritados que já estavam,foram-se embora)com um café e um licor beirão mas por outro colega.


Tomei conhecimento do nome Bruno,do anterior colega porque este que me serviu se dirigiu ao outro. Ora,após me ter sido entregue o meu pedido,o senhor Bruno,a atender duas clientes na mesa ao lado da minha,diz:("tchi,acho uma piada a estas * PROIBIDO *"!).


Após consumo e pagamento do mesmo(0,65€ mais 2,20€ sobre a V/D nr. 1-11829),solicitei o livro de reclamações ao chefe,que,falando como um mariquinhas,tudo tentou para não me fornecer o livro de reclamações inclusive,que nunca recebeu uma reclamação. Após lhe dizer que não valia a pena me tentar iludir e que ainda estaria a fazer pior porque iria inscrever tudo o que me estaria a dizer e depois de muita,muita insistência minha,lá apareceu o livro.


Acabei por não escrever no mesmo,pois,para meu espanto,o livro datava de 22 de Novembro de 1999,não apresentava de facto qualquer reclamação,tinha como entidade responsável turismo e restauração e nem sabiam para onde mandar a reclamação pois também não tinham envelopes para o efeito.
Informei-o apenas,que ficasse descansado,que eu iria reclamar directamente para a ASAE.


Que mais poderei dizer? Apenas lamentar,que existam pessoas e serviços tão deficientes que em nada abonam para um bom nome e imagem bem como abusam de autoridade que julgam ter em prejuízo dos clientes que os alimentam e de que tanto carecem.

Esta reclamação foi considerada resolvida

Comentários (0)