Ranking na categoria
Partilhar esta página

Ford FIAAL - Isto é de uma extrema gravidade!

Resolvida
55109
6283
Vilma apresentou a reclamação

Exmos Senhores,

Venho por este meio proceder a uma reclamação dos vossos concessionários/oficina.


Dia 14 de Dezembro de 2010 adquiri um novo Ford Fiesta Van de matrícula 12 - LC - 75, na FIAAL - Fomento Industrial e Agrícola do Algarve, Lda.
Dia 14 de Fevereiro de 2011 detectei uma luz acesa, que indicava avaria no motor. Fui ao livro da Ford, estava indicado que o veículo poderia circular (pois ainda não tinha a luz vermelha acesa), mas que deveria ser visto por um técnico especializado, e assim o fiz, dirigi-me até ao concessionário (Fiaal - Faro). De inicio foi-me dito que não poderiam ver o meu automóvel, que teria de sair do recinto da Ford e pedir um reboque. Achei um desperdício de recursos, pois já estava junto à oficina. Depois de ter exigido o livro de reclamações, foi-me dito que afinal já podiam fazer o diagnóstico do veículo. Passado 2 horas, o diagnóstico foi um problema no filtro de partículas.
De seguida deram-me um carro de substituição, mas com diferentes características do meu que é comercial e a gasóleo. Recebi um a gasolina e com cinco portas. Chamei a atenção do assistente de oficina, pois preciso do automóvel para trabalhar. Foi-me dito que seria por poucos dias.
Passados nove dias, eu ainda continuava com o meu veículo de trabalho retido na oficina e a circular com o, a gasolina. Fiquei prejudicada pois em quase 10 dias gastei em combustível o que gasto quase num mês.
Dia 22 de Fevereiro (depois de vários contactos passados) ligo ao assistente de oficina às 14 horas, e obtive a informação que ainda não havia previsão de arranjo, pois estariam à espera de uma peça (segundo eles, uma válvula para o filtro de partículas). Contactei o meu vendedor para ver o que se passava, e passadas duas horas, ou seja, às 16 horas recebo a informação, que ate ao final do dia poderia ir buscar o meu automóvel.
Quando o vou buscar tenho a surpresa de este estar com mais 180Km de quando o deixei na oficina. Questiono a razão de tantos quilómetros, pois até acho normal experimentarem como está o veículo depois do arranjo, mas 180Km não é plausível, além de terem deixado o depósito na reserva.
Disseram-me que o automóvel foi experimentado por várias pessoas. O meu espanto ainda foi maior, quando encontro uma factura (dentro do automóvel) de uma compra no Continente em Tavira (a uns 40 Km de Faro) datada de dia 21 de Fevereiro, ou seja, no dia antes do suposto arranjo. Questionei a razão de andarem a passear no meu veículo, ao que me dizem que um dos funcionários que o experimentou é de Tavira.
Ora é inadmissível que numa empresa internacional como a Ford, tais acontecimentos sucedam. Isto é de uma extrema gravidade.
Além dos 180Km a mais, ainda fui eu que tive de tirar os plásticos do banco, volante e manípulo das mudanças, e limpar a dita factura que um dos funcionários que “experimentou” o meu automóvel deixou lá.
RESUMINDO, o cliente ficou prejudicado em todos os sentidos. Além de ter o seu automóvel de trabalho retido durante 10 dias (automóvel esse com 2 meses), ainda tem gastos extras com um veículo de substituição com outras características, ainda é o próprio que limpa os vestígios do arranjo, e ainda descobre que o seu carro foi transporte de alguém, quando deveria estar seguro na oficina da Ford!

29 ago 2013
FORD adicionou uma resposta

Exmos. Senhores,

Acusámos a recepção do e-mail que nos dirigiram a dar conhecimento da reclamação em registo, a qual foi alvo da nossa melhor atenção.

Tendo em consideração que a Ford Lusitana, S.A. possui um departamento próprio para a gestão de reclamações, informamos que todos os contactos são realizados diretamente com os clientes e através do Centro de Relações de Clientes.

Apresentamos os nossos melhores cumprimentos,


Sara Oliveira |Centro de Relações com Clientes|Ford Lusitana, S.A.
www.ford.pt | 808 200556| +351 213122381
Pense no meio ambiente antes de imprimir este e-mail.

Esta reclamação foi considerada resolvida

Comentários (0)