Mais de 6.000 reclamações dirigidas ao setor da Saúde

Numa altura em que o país regressou ao Estado de Emergência, analisámos as reclamações dos portugueses dirigidas ao setor da Saúde.

Mais de 6.000 reclamações dirigidas ao setor da Saúde
Partilhe

Até ao dia 9 de novembro, foram registadas mais de 6.000 reclamações no Portal da Queixa (6103), um aumento de 71%, face ao mesmo período em 2019 (3573). O setor privado regista 64.9% do total de reclamações (3962), e o setor público regista 35.1% (2141). Relacionadas com a Covid-19, estão 21% das queixas (1305).
 

Segundo a análise do Portal da Queixa, verifica-se que o contexto pandémico veio agravar a insatisfação dos consumidores face ao setor da Saúde, traduzida no crescimento exponencial de reclamações, ao longo dos meses, dirigidas aos vários agentes de saúde públicos e privados, expressando um claro alerta para a necessidade de melhorar, na generalidade, a eficácia dos serviços prestados.
 

Entre as entidades com maior volume de reclamações recebidas estão: os Planos e Seguros de Saúde (1261), as Farmácias (932), os Hospitais e Maternidades (930) e os Grupos de Saúde Privados (824), com destaque para as farmácias que, comparativamente com o período homólogo, registaram o maior crescimento do número de queixas, uma subida de 231%.
 

Entidades alvo do maior número de reclamações em 2019 e 2020 e respetiva variação.
 

Entidade

Reclamações
2019

Reclamações
2020

Variação

Farmácias

282

932

+231%

Clínicas Médicas

66

129

+96%

Grupos de Saúde Privados

476

824

+73%

Óticas

91

155

+70%

Hospitais e Maternidades

702

930

+33%

Planos e Seguros de saúde

964

1261

+31%

(1 janeiro – 9 novembro)

 

Principais motivos de reclamação:

Entre os principais motivos de reclamação dos consumidores - dirigidos às diferentes entidades de saúde -, estão a dificuldade de marcação de consulta apontada aos Centros de Saúde (56% do total de queixas dirigidas a estes organismos) e nos Hospitais Públicos, o mau atendimento é motivo reportado em 21% das reclamações.

Nos Hospitais e Clínicas Privadas, os portugueses apresentaram queixas sobre faturação errada (43%), sobre cobrança de taxas para kits de proteção (23%) e mau atendimento (12%). 

Nos Laboratórios de Análises Clínicas, os problemas gerados com o rastreio à Covid-19 geraram 27% das reclamações.

No início da pandemia, as Farmácias foram um forte alvo de reclamação junto do Portal da Queixa. Os problemas relacionados com a venda de máscaras geraram 58% das queixas registadas e os preços praticados no álcool gel desinfetante originaram 37% das reclamações.

 

Partilhamos com algumas das reclamações recebidas no Portal da Queixa pelos consumidores.

Sílvia Dias reporta o “mau serviço” de uma unidade hospitalar Trofa Saúde. Por seu turno, a utente Guida Silva denuncia na sua reclamação o preço dos kits de proteção que foram praticados numa unidade de saúde CUF.

Em plena primeira vaga da pandemia, o consumidor Pedro Cleto, reclamou pela falta de resultado ao teste Covid-19 que realizou nos Laboratórios Germano de Sousa.

Ester Silva expressou no Portal da Queixa a sua insatisfação e frustração por não conseguir agendar uma consulta no Centro de Saúde da sua área de residência.

 

“O Serviço Nacional de Saúde continua a registar taxas de insatisfação muito elevadas de ano para ano, não demonstrando melhorias contínuas no serviço prestado”, salienta Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa. “Os portugueses já perceberam que a partilha pública dos problemas que encontram na prestação dos serviços públicos, traduz melhores resultados através da visibilidade pública, que permite uma avaliação mais transparente e coerente com a realidade, sem filtros políticos e económicos”, conclui.

 

 

 


Comentários

É fácil estar sempre actualizado

Mantenha-se informado das últimas notícias e outras informações relevantes com a nossa newsletter!