Marca Recomendada
Escolha do Consumidor
Marca do Mês
Ranking na categoria
  • Somos uma plataforma online onde podes anunciar e encontrar artigos, empregos, imóveis, automóveis e serviços.
    Aqui vais encontrar de tudo. Vá, quase tudo.

  • Edificio Atrium Saldanha,
    Praça Duque de Saldanha, 1 - 3º Piso
    Fracção H
    1050-094 Lisboa
Partilhar esta página

A reinvencão do OLX - Entrevista na Revista Líder

Partilhe

O e-commerce cresce de forma exponencial e com ele novas ideias e maketplaces. Não é assim de estranhar que a plataforma de e-commerce em Portugal de produtos e serviços, detentora dos reconhecidos portais Standvirtual, Imovirtual e OLX, viva dos momentos mais inebriantes da sua história.

Com o digital a ganhar preponderância – e os hábitos e formas de consumo alterados, David da Costa Mota, Head of Sales Portugal, explica à Líder a necessidade do Grupo OLX ser mais ágil nos planos que tinha traçado e o novo papel assumido junto das empresas.

Só no último ano, o grupo cresceu no nosso país 40% em transações e visitas. «Temos os três sites no top 10 de sites mais visualizados em Portugal segundo o estudo mensal da Marktest de netaudience em Portugal, estando à nossa frente apenas empresas de media. Ou seja, somos os únicos sites de compras online em Portugal a figurar neste ranking, o que revela a nossa força de comunicação e o reconhecimento dos nossos utilizadores e consumidores na qualidade do nosso serviço».

A estratégia passa por cimentar cada vez mais a presença e trazer novos produtos e serviços que permitam, em cada uma das marcas, simplificar a vida dos clientes e consumidores, trazendo segurança, conveniência e rapidez no processo de compra.

Para David, os grandes trunfos da empresa são a conveniência, as relações, a singularidade e a criatividade, «somos rápidos a testar novos conceitos, a errar muito, mas ao mesmo tempo ágeis a encontrar soluções que nos permitam avançar rápido».

Empenhada em ter negócios na plataforma que não existem noutros sites, em reforçar a presença local através de equipas de venda e apoio ao cliente e acima de tudo perceber quais as necessidades dos clientes/ utilizadores para que possam implementar novos produtos/serviços que os satisfaçam.

E mais, enquanto player digital, a grande bandeira é ajudar os negócios a digitalizar a presença na Internet.

 

Com o surgimento da Pandemia, o digital ganhou maior preponderância, que necessidades foram sentidas para afinar a estratégia do Grupo OLX em Portugal?

O OLX, sendo um site de classificados, foi importante compreender que os hábitos de consumo e compra online foram acelerados e com isso também precisámos de ser mais ágeis nos planos que já tínhamos, como ajudar empresas na criação de websites através da parceria com a Jumpseller e também a possibilidade de um sistema de entregas para profissionais com os CTT.

 

Foi fundado em 2007 e assumia-se como uma plataforma de comércio de produtos e serviços na Internet. Como se apresentam agora ao mercado?

O nosso posicionamento ao longo do tempo tem-se adaptado consoante a estratégia e os planos do grupo. Continuamos a ser uma plataforma de comércio de produtos e serviços, um espaço entre vendedores e compradores, profissionais e particulares, que visa facilitar os negócios em cada país onde estamos presentes, tendo em vista a economia circular criando assim um melhor impacto na sociedade em que vivemos. Com o evoluir das necessidades dos clientes e do mercado, procuramos sempre compreender como poderemos adaptar-nos mantendo a nossa essência.

 

Mas é ainda percecionado como venda de artigos em segunda mão?

Sim, é. Durante estes anos trabalhámos este conceito do qual nos orgulhamos muito e que nos ajudou a chegar a onde estamos atualmente, com um share de audiências na Internet perto dos 22% (estudo da Marktest) e onde mais nenhum site (exceto Stand e Imovirtual) constam. Somos sem dúvida uma plataforma com muita exposição para qualquer utilizador e para empresas. A nossa aposta no OLX Portugal para estes próximos dois a três anos é aumentar o número de empresas e profissionais na nossa plataforma para que os nossos consumidores tenham acesso a produtos e serviços de forma rápida e conveniente.

 

Já começamos a vislumbrar um cenário pós-pandemia, ainda com uma exigente capacidade de adaptação a uma nova realidade. Quais têm sido os desafios?

Enquanto organização, sem dúvida o distanciamento entre nós. A prioridade do grupo tem sido a segurança dos colaboradores e desde março 2020 que nos encontramos em regime de teletrabalho e assim continuaremos até a realidade epidemiológica mudar favoravelmente. Para as operações que diariamente trabalham em conjunto e precisam deste contacto humano mais próximo foi o maior desafio conseguirmos reduzir esta barreira da distância. Nem sempre foi fácil, especialmente nos lockdowns, pois ficavamos ainda mais limitados, mas com a gradual abertura foi aliviando esta pressão que todos nós passámos (infelizmente). Enquanto negócio foi procurar formas de não deixarmos os nossos clientes sem apoio e conseguimos ajudar muitos negócios que tiveram de fechar portas, mas com a exposição que temos, ajudá-mo-los a vender online e assim terem forma de continuarem a vender e a segurar os seus negócios. É duro, diariamente, percebermos que muitos profissionais estão a ser impactados com esta crise e que estão desesperados. O nosso papel, através das nossas equipas de vendas, tem sido de apoiar, clarificar, orientar e ajudar a encontrar formas de aumentar vendas através do online. É aqui que somos experts e é este knowledge que usamos em prol dos nossos clientes.

 

Neste último ano, tiveram 18 milhões de visualizações por mês, 13 milhões de utilizadores ativos, 7 milhões inativos. Qual é que tem sido o crescimento em audiência? E quanto perspetivam crescer?

2020 foi um ano de afirmação do online influenciado pela pandemia que nos obrigou a mudanças nos hábitos de compra e consumo, e o OLX não foi exceção. Crescemos cerca de 40% YoY em transações na plataforma e em termos de visitas, temos os três sites no top 10 de sites mais visualizados em Portugal segundo o estudo mensal da Marktest de netaudience em Portugal, estando à nossa frente apenas empresas de media, ou seja, somos os únicos sites de compras online em Portugal a figurar neste ranking, o que revela a nossa força de comunicação e o reconhecimento dos nossos utilizadores e consumidores na qualidade do nosso serviço. A estratégia passa por cimentar cada vez mais esta presença e trazer novos produtos e serviços que permitam, em cada uma das marcas, simplificar a vida dos nossos clientes e consumidores, trazendo segurança, conveniência e rapidez no processo de compra.

(…)

Pode ler a entrevista na íntegra na edição de verão da revista Líder.